Agora com pauta

21 06 2019

Também gosto desta interpretação. Nos comentários alguns dizem que vai depressa demais. Não acho.

Anúncios




Solstício de Junho (pensando na minha mãe)

21 06 2019

Faleceu há 10 anos neste dia. Aqui fica a peça que eu adorava que ela tocasse. Virava-lhe as páginas. Procurei uma interpretação parecida. Esta ainda é a que mais se aproxima, mas, não desfazendo,preferia a dela. Não sei explicar porquê, mas o piano forte não deve soar como um xilofone ou uma tira de sininhos e em muitas interpretações foi o que me pareceu… e não era defeito da gravação. É um arabesco , pois , a minha mãe também sabia e estava tudo na pauta. Pena que não tenha encontrado os arabescos tocados pelo próprio Debussy. Mas deve haver algures, quanto mais não seja , na memória do ar que então vibrou. Essas vibrações de quando ela tocava estas e outras peças ficaram gravadas na minha memória, por isso continuarei a procurar.

Saudade.





É ainda sobre gatos

14 06 2019

É mesmo sobre gatos e apenas sobre gatos. Os humanos também conseguem fazer o mesmo se forem o que se costuma designar por mediuns ( o plural latim não faz sentido pois não?). Quem não é medium pode consegui-lo com meditação, mas exige muito treino….

Conclusão: se um gato não chega para limpar a energia negativa, arranjem mais um… se dois gatos não chegam para limpar a energia negativa, arranjem mais dois, mas tentar descarregar energia negativa com energia negativa só produz um resultado: ainda mais energia negativa.

Quem não acredita ,  fique na sua. No entanto, é melhor ir estando atento ou atenta ao seu gato.





Afinal a canção é outra… e a FNA19…

10 06 2019

Pois é, três meses depois da pesquisa de Março e vários anos depois de a ter ouvido pela primeira vez , descobri a canção…a tal que ouvi na série “Ghost whisperer” e se parecia com a do “take my breath away” em ritmo acelerado . Parecia e são as mesmas notas, mas agora não tenho vagar para saber quem compôs primeiro. Mas é mesmo outra canção .

Foi assim, por acaso, na rádio e desta vez consegui perceber uma linha da letra. Foi na viagem de retorno  da Feira Nacional de Agricultura. Vamos sempre ao certame, apesar da nota tauromática presente, mas não se impõe, só para os mais atentos como eu, só no programa e se evitarmos a zona da manga nas horas das atividades para atrasados mentais (atrasados no tempo, estão a perceber? não lhes estou a chamar nomes nem a ofender os deficientes, tá bem?), nem se dá por essa tonalidade tauromática. Até queria assistir à corrida dos campinos, sem touro, calculo.. não vi, afinal, pois marcaram para as 15h e não apareceram, esperámos 20 minutos e decidimos ir ver o resto da feira. Não há pachorra para a cultura da não pontualidade!

Fomos cedo e voltámos cedo pois a feira encheu-se demais e às 16 h resolvemos que estava tudo visto. Na viagem de volta, na RR lá veio a canção e desta vez estive muito atenta à letra. Não se percebe patavina a não ser uma linha. Depois no google consegui encontrar e finalmente perceber o texto…. depois de vários anos….





Pois…

7 06 2019

É mesmo sobre gatos, mas nunca se sabe , quando se fala de instintos básicos eles são comuns  a todos os mamíferos, não é?

Não, não vou responder a escrevinhações de vulgaridade patética. Deixo isso para o facebook.





O último post foi pouco popular…. Pois.

7 06 2019

Republiquei o post anterior no facebook, pois parece que ainda não leram, ou não querem ler, talvez porque estão no grupo dos mobbers, ou seja dos que fazem essas coisinhas aos coleguinhas para sobreviver à custa dos que são mais velhos e/ou perigosamente bons. Assim, vai a má moeda substituindo a boa , que é a tal lei da economia perfeitamente provada. Não gostam desta lei por ter sido citada por Cavaco? É isso? Mas a lei está provada historicamente. E assim aconteceu nos anos trinta na Alemanha, os melhores professores eram sobretudo judeus , foram expulsos e alguém se opôs? Nem por isso. Claro que bons ou menos bons nunca na vida seria admissível este assédio moral, mas dá-se o caso de o alvo serem sobretudo os bons professores, os que não se submetem a interesses de grupelhos, os perigosos, não é? Os que fazem ondas, não é? Os que se destacam logo à primeira por serem brilhantes, esses pobres desgraçados arranjam inimigos logo no dia em que se apresentam ao serviço. Mas não se preocupem . Os melhores mesmo já emigraram se eram jovens. Mas nem todos são jovens , nem todos podem emigrar e nem todos se podem reformar. Mas de cada vez que um se reforma alegram-se alguns corações , não é? Depois fazem-lhe uma festa cínica de homenagem!

Não é?





Assédio moral….na sua escolinha como é?

3 06 2019

Alguém dizia na TV ( não registei mas posso procurar depois) não achar normal que a tendência  em quase todas as profissões seja a de se ansiar pela reforma. A comentadora dizia que podia concluir que algo de muito errado se está a passar nos locais de trabalho , onde, em vez de se gostar de lá estar, anseia-se por sair … Esse estado de coisas deve-se , na opinião da comentadora ao facto de que em cada vez mais locais de trabalho em vez do trabalho em equipa , se assiste a uma individualização do trabalho pelo efeito da introdução de mecanismos de avaliação individual. Dizia que isso era tendência recente, concluindo que algo andaria muito mal pelos estabelecimentos onde a obcessão da avaliação tem tornado os locais de trabalho em locais tóxicos onde a preocupação é saber quem passa à frente de quem , tornando a vida de muitos um inferno, fazendo-os ansiar pela reforma com idades ainda muito longe dela. Estou parafraseando o que ela disse, mas aquilo ficou-me na cabeça, foi a única que fez uma intervenção de jeito. Os outros disseram umas coisas e ridicularizavam q.b.  o PAN, o  que se tornou o desporto favorito dos comentadores ( que nem se sabe quem são,o que fazem na vida, por que razão foram convidados e por que razão se deixou o debate sem contraditório , já que não havia ninguém do PAN para se defender). Mas não é sobre PAN que agora quero escrever.

Não nada disto é normal, DIGO EU, muitos locais de trabalho tornaram-se antros de víboras, sobretudo no Estado , com mais ou menos autonomia, aliás, quanto maior a autonomia , mais livres estão os grupos em torno do poder ou a que a ele se encostam de se organizarem em mafias, aterrorizando pessoas, esmagando-as, não as convidando para nenhuma equipa, nunca lhes atribuindo cargos, enterrando-as com excesso de tarefas inúteis ou atirando para elas o trabalho que ninguém quer fazer….. até que entrem em depressão, metam atestado médico, ou se reformem ou mesmo se demitam deixando a vaga aos amigos do poder). Chama-se a isto assédio moral. Está na nossa legislação? Não me parece. Mas dizem que sim, embora eu não tenha encontrado nada na lei 35/2014. nem em anexo. Casos em tribunal? Haverá, mas desconheço, o que sei é que esses casos são difíceis, pois há sempre a “conveniência do serviço ” e outras razões invocadas pelo empregador privado ou público, testemunhas  são difíceis de aparecer pois elas também estão submetidas ao mesmo ambiente de  terror… vãoo aparecer mais facilmente as testemunhas a denegrir o trabalhador. Mesmo que ganhe o reclamante, depois como será recebido? Haverá casos em que , caso tenha havido cessão do vínculo , nada obriga à reintegração do trabalhador a não ser a decisão do tribunal que alguns serviços, institutos com autonomia, simplesmente ignoram. Situações como esta sei que existem em politécnicos e faculdades. No setor privado imagino apenas…

E nas vossas escolinhas? E tu, caro leitor, rm que grupo de inseres? ……