Algumas referências

30 11 2007

Foi com agrado que vi aparecer e ganhar visibilidade uma voz dissonante à monocromia da pedagogia da treta, ao eduquês como lhe chamou Crato, voz que vem do terreno, da experiência da sala de aula no ensino básico e secundário: refiro-me a Gabriel Mithá Ribeiro (Pedagogia da Avestruz e Lógica dos Burros), não tenho conhecimento de que outros tenham teorizado a sua oposição de forma tão sistemática. Não quero com isto dizer que esteja de acordo com tudo o que diz, mas apoio muito do que diz.

Poderia subscrever na íntegra o que diz Crato no seu livro O Eduquês. Apesar de não vir do trabalho no terreno do ensino básico ou secundário, resulta da análise documental (dos documentos legais) e da lógica: esta pedagogia da treta que designou por eduquês (cuja fundamentação teórica verificou ser muitíssimo fraca e duvidosa) não pode resultar. Os resultados estão à vista. Q.E.D.

Na blogoesfera, o blog a Educação do meu umbigo é já uma referência em tudo o que respeita à política educativa e tem sido muito consequente na forma de crítica sempre profunda e fundamentada às decisões e medidas caóticas e surrealistas tomadas por esta equipa ministerial. É também o site que mais rapidamente actualiza a informação quanto a mísseis tomalákieuáksei (este nome inventei agora) provenientes do Ministério da Educação, faz um belíssimo trabalho de clipagem dos blups (nome mais curto para designar os mísseis tomalákieuáksei ) em forma de lei ou projectos de lei, de decretos ou outros regulamentos rodrigais ou valterianos e das reacções a eles na imprensa.

Anúncios




Blog livre -uma espécie de editorial

26 11 2007

Este blog é criado no sentido de registar algumas ideias sobre política de educação derivadas da experiência no terreno ou nela consolidadas, tentando contrariar a corrente que coloca os professores como autómatos escrevinhadores de papelinhos com cruzinhas enquanto nos media se anunciam medidas fortes de combate ao insucesso escolar que mais não visam senão  isso mesmo: tornar o processo de aprendizagem marginal na actividade do professor e do aluno. Os docentes desdobram-se e esgotam-se (em todos os sentidos) em “planos” e contra-planos, em descrições de “projectos” e definições de “actividadezinhas”, escrevinhando objectivos gerais e específicos mas conscientes de que o objectivo central não é outro senão a escravização do docente em obediência à moda do eduquês dentro da meta geral obsessiva da não retenção do aluno.

A certificação de conhecimentos deu lugar à certificação de competências, com a qual nem estaria em desacordo se o conceito de competência fosse objectivamente determinado, ao contrário do que acontece na prática: esse conceito mal definido autoriza todas as interpretações, tornando-se completamente arbitrário e permite que alunos sem competência para o nível que se está a certificar, obtenham o certificado.

É apenas mais um blog sobre este tema, não pretende ser mais que um espaço de desabafo e comentário suportado pela experiência. Também poderá basear opiniões em teorias ou remeter para outros sites ou blogs para melhor documentação e/ou fundamentação.

Nota relativa ao WP: Com a nova versão do wordpress talvez seja possível falar de educação sem haver uma torrente de spam quotidiana e esmagadora como acontece infelizmente no wp\labprof2000: comentários por email contendo, cada um, centenas de links anunciando toda uma panóplia de produtos legais e não legais desde as malas de marca ao porno mais hard, passando pelos toques de telemóveis, pelos games e pelos medicamentos legais mais ou menos respeitáveis destinados a cocktails, entram todos no servidor sem qualquer problema. Tudo tem que ser filtrado pelo utilizador-administrador, se acaso teve o bom senso de seleccionar a moderação de comentários: é que são cerca de mil comentários por semana, todos ou quase todos agoniantes . Aqui fica a denúncia e vamos experimentar esta nova versão wp a ver se é melhor. Caso não seja, migrarei para o blogger que, no controle anti spam, é excelente.