Cante Alentejano, Património da Humanidade

29 11 2014

Esta canção aprendi-a em Aljustrel com um mineiro que fazia parte do coro dos mineiros. Nunca mais me esqueci dela. Aqui aparece cantada em grupo misto. O cante evoluiu e isto é a prova, ouvem-se bem as vozes femininas. A voz masculina mais aguda ouve-se menos por essa razão. Mas acho positivo que se façam estes grupos mistos.

Na minha busca no You tube encontrei esta reportagem interessante da RTP, feita em 73, portanto antes do 25 de Abril, onde se pode ver o Aljustrel de que me lembro (pois fui lá colocada em 1976). Foi bom rever…A mina era assim? Era mas pior, não mostraram a máquina que investia contra a rocha , manobrada por um homem, o ruído, a poeirada à volta em toda a galeria, que se tornava fantasmagórica pois apenas se viam vultos com luzes na cabeça.
Todos os mineiros que iam lá ao fundo respiravam aquilo todos os dias. NUnca esquecerei a visita guiada que nos proporcionaram a nós professores (eramos todos jovens se bem me lembro). E na reportagem nem uma palavra sobre a silicose. Natural, o programa era sobre a música alentejana e estávamos em 1973, calculo que tenha havido muito trabalho de edição. E notei certa dessincronia entre o que dizia um mineiro e o movimento dos lábios. Pode ter sido apenas um problema técnico…

Quanto ao canto ou cante talvez seja de manter ambas as versões, o coro masculino é , de facto, o mais antigo, embora elas conhecessem as modas e as cantassem em coro no trabalho no campo mas também em casa e com amigas. Não lhes era permitido ir ao café, muito menos à taberna. Era assim em 76.

Anúncios




Recordando….Figaro

27 11 2014


ou preferem esta:





Há “caras” assim, um pouco sádicos…

26 11 2014




Falemos de outras coisas

26 11 2014

A municipalização da educação, por exemplo. Nunca houve provas de favorecimentos nas Câmaras municipais, nem de caciquismo , a não ser em casos muito raros. Por isso, presumem-se todos os senhores autarcas como pessoas imparciais, não sujeitas a pressões que nunca na vida irão influenciar ou tentar influenciar escolas e agrupamentos para a admissão deste ou daquele professor ou funcionário em detrimento de outros que vêm com melhor classificação profissional, mais tempo de serviço e mesmo melhor avaliação… Esta última também nunca resulta de favorecimentos pois os senhores diretores são todos homens dedicados à coisa pública, completamente imunes a influências e lobbies. Portanto, partindo deste princípio e tendo em conta que a justiça raramente condenou pessoas por favorecimento, podemos então confiar na bondade da iniciativa da municipalização da educação. Fica tudo mais próximo e transparente como transparentes têm sido as câmaras municipais. No entanto houve uma espécie de convulsão nas últimas eleições autárquicas… Em muitos concelhos , as pessoas decidiram mudar, mas não de partido, quiseram ver independentes nas Câmaras e constituiram-se em grupos de cidadãos para consegui-lo. Noutros casos foram os próprios partidos que foram buscar independentes. Porque será? Então e a rotação democrática, não chega a essas pessoas? Parece que não. Esse novo tipo de autarca é caso a seguir com atenção, pois em princípio não deveria cair nos mesmos “hábitos” dos partidos (ia dizer vícios” mas é melhor não usar essa palavra). Mas… quais hábitos? Tal nunca se provou… portanto, nunca existiram. A democracia tem sido perfeita até prova em contrário tanto a nível nacional , como regional, como local. Posto isto, não há nada a recear da municipalização da educação.





Tema a evitar

26 11 2014

Está a tornar-se um tema fracturante… e portanto a evitar : Sócrates.
Por mim tudo bem, eu até já me tinha esquecido dos insultos implícitos e alguns explícitos à classe dos professores, o seu envolvimento directo nas políticas educativas que criaram o caos na escola pública e agora voltou tudo à memória. Mas, a bem do civismo e bom ambiente entre pessoas que querem o mesmo, ou seja , a melhoria das condições de vida em Portugal, a criação de emprego, a redução do serviço da dívida, a paz civil, os compromissos necessários para sanar as contas públicas sem triturar direitos das pessoas que trabalham e/ou querem trabalhar, acho que é melhor encerrar o tema e esperar pelo seu normal percurso e desfecho na justiça………………………………………………………………………………..
Já comecei a esperar………………………………………….





“Homenagem ao malandro”

25 11 2014


Afinal , vai-se a ver e está inocente de tudo, injustiça , isto “não pode ficar em vão”!
Ainda se vai ver que trabalha, aposentou a canalhada e mora no trem da gare du Sud.





E agora, António?

23 11 2014

Costa , se estás limpinho mesmo não será a altura da demarcação? Ainda não? Vai o PS cerrar fileiras, ou como seria desejável, fazer uma purga? Não ficaria lá ninguém? Se assim for, então , pobre país.
Rui Rio faz qualquer coisa, se não tiveres também esqueletos no armário. O que nos resta? Passos Coelho com uma massa cinzenta própria e da entourage muito limitadinha? O PCP e o Bloco? Este bloco que já me vem a irritar há uns bons anos? Ao menos o PC de Jerónimo vem sendo igual a si mesmo. Mas tenham paciência, o povo não quer. E eu também não.
Ouvi agora na TV: Não tens de apagar fotos, pelo contrário, deves olhar para a cara dele durante muitos anos para que não esqueças o que ele fez ao PS e ao País! Mas homenagem?????? Assim não há hipótese, o povo não é parvo, vai votar com os pés uma vez mais, e teremos o Passos e o Portas dos submarinos. Por falar nisso, por que razão na Alemanha está pelo menos um preso pelo caso dos submarinos e aqui ninguém???????????