Le Tour 100: 1ª etapa (caricata)

29 06 2013

“Caricata”, digo eu, e estou a usar um eufemismo. Só vendo, contado ninguém acredita. 🙂 😦

No site Le Tour:

«Kittel delivers: yellow jersey from a stage win

Stage summary 29.06.2013

Stage 1- Porto-Vecchio / Bastia

 The first stage of the 100th Tour de France was designed to end with a sprint. That’s how it panned out but it was anything but a standard finish in Bastia. Ultimately it was a sprinter with a great reputation, Marcel Kittel, who lived up to expectations and claimed the win and the first yellow jersey of the 2013. “This is the greatest day of my life,”he declared at the finish. “This is absolutely something that’s outstanding.”That was his appraisal after a manic end to the first stage of the Tour to ever be contested in Corsica. The race jury was forced to make quick decisions and originally opt to alter the site of the finish… when the peloton was just eight kilometres away. »(Ler mais)





Etapas da 100ª edição da Volta à França

29 06 2013

Le Tour (página oficial)  http://www.letour.fr/le-tour/2013/us/stage-2.html

Sunday, June 30th – Stage 2156km





Não, desta vez os sindicatos não traíram, na minha opinião

27 06 2013

Fala-se por aí de traição dos sindicatos? Acham mesmo? Pareceu-me esta luta muito mais consequente e com resultados à vista, a não ser que o governo daqui a um mês venha dizer que aquilo que prometeu por escrito em acta não o obriga a nada. Nesse caso a traição é dos sindicatos? Ou de um governo sem vergonha nem palavra?
E~, na minha opinião, desta vez, na utilização da mais forte forma de luta dos professores não houve traição dos sindicatos, houve uma luta consequente, com greve de três semanas `as avaliações não desconvocada nas vésperas como foi costume durante décadas, sobretudo no tempo de Teodoro à frente da Fenprof. Há uma diferença considerável entre este e Mário Nogueira. Aquilo que o MEC disse e está escrito em acta é uma cedência considerável, só não vê quem não quer ver.

Parece que desta vez os sindicatos, sobretudo a FENPROF, acreditaram na tenacidade da luta dos profs talvez por constatarem a capacidade de organização de professores sindicalizados e não sindicalizados, por escola, de forma autónoma , com fundos de greve organizados por iniciativa dos profs e por eles organizados, com ou sem sindicatos. Perceberam que a pressão era tanta que “desta vez “os profs iriam aguentar. Quem lhes disse que nas outras vezes não iriam? Os dirigentes que vão visitar as escolinhas uma vez por ano? O MEC aprendeu a lição , espero que os dirigentes sindicais tenham aprendido também.

Estou a observar de fora, pena minha, gostaria de lá ter estado. Mas talvez essa distância seja uma vantagem em termos de objectividade.





Memorando de não (des)entendimento actual e de futuro (des)entendimento e os dados fantasiados da OCDE …

26 06 2013

Vamos lá a ver se percebi , das palavras de Mário Nogueira, o que assinou ele. Uma acta calculo eu, onde estará escrito o que disse o MEC, e o que disse a FENPROF. Portanto, a FENPROF disse que a greve acaba mas que não há entendimento, pois aquela coisa da mobilidade, quando for aprovada, vai ao Tribunal Constitucional (acho bem), o MEC disse que aquilo da mobilidade é para todos os funcionários públicos, mas só em 2015 e que não haverá profs nessa situação pois os horários zero vão desaparecer (disse mesmo?), disse que se mantém o tempo de direcção de turma na parte lectiva (disse mesmo?), disse que continua a redução da componente lectiva por antiguidade (disse mesmo?). Era bom que fosse divulgada a acta.

Entretanto o público hoje publica, antes da notícia sobre este desentendimento que é entendimento suficiente para acabar a greve e tudo voltar à normalidade (depois da greve geral), duas páginas onde se vê um gráfico da OECD de 2011, com salários de profs com 15 anos de serviço, de mais de 39 mil dólares anuais, que são inventados, só pode. Quando é que um prof com 15 anos de serviço alguma vez ganhou isso? Quem mandou os dados par a OECD?  Na peça é depois explicado que a seguir a 2011, os profs viram cortes salariais sucederem o que altera a situação. Mas então e o corte que já foi no tempo de Sócrates?

Para quê publicar este gráfico, sem contraditório? Para fazer crer a quem não tem tempo de ler tudo que os profs são privilegiados? Agora também o Público contribui para a orquestração anti judeu, perdão, anti prof. Espero que alguém desminta estes disparates, ao abrigo do direito de resposta.

PS: OECD= OCDE em Inglês 🙂 (Organisation for Economic Co-operation and Development ), organização que era prestigiada pela fiabilidade dos estudos e relatórios sobre países, mas que  tem evoluído muito, mas  não para melhor. Claro que quem manda os dados é o próprio país mas deveria haver regras muito bem controladas para ser possível fazer comparações. O cálculo em dólares PPP permite tudo e mais qualquer coisa, pois é complicado de verificar. Os tais 39 mil dólares é em paridades de poder de compra, que tem muito que se lhe diga, em termos de rigor e, portanto , eficácia comparativa. Para além do mais, a ideia de que o dólar anda ela por ela com o euro , induz também em erro, eu própria li euros, só depois fui ver melhor e era dólares, mas não sei a cotação do dólar em 2011. Enfim, contradizer o estudo é difícil se não forem conhecidos todos os pressupostos do cálculo e é com estes malabarismos que os cérebros do governo actual e do anterior e respectivos apoiantes têm contado como aliados na ofensiva contra os profs. Por falar nisso, o Ferro Rodrigues ainda por lá anda, na OCDE?





Rui Costa (ao vivo e a cores)

25 06 2013

Em Pataias , no Campeonato Nacional, lá estava ele, não rodeado de muitos fãs o que permitiu apanhar esta foto. É triste que o ciclismo  não movimente muitos adeptos. Claro que a volta a Portugal terá mais espectadores, mas Rui Costa , o vencedor da Volta à Suiça pelo segundo ano consecutivo, duas medalhas de ouro consecutivas, correndo com os melhores internacionais, esteve em Pataias e quase ninguém soube para lhe dar a devida recepção. É verdade que a organização não divulgou a lista de partida em lado nenhum, só ao microfone. Nem o campeonato foi divulgado devidamente.

IMG_2013_06_23_Rui Costa2 (2)





Campeonato Nacional de Ciclismo de Estrada 2013: os campeões

25 06 2013

111

Joni Brandão (Efapel Glass Drive), Tiago Machado (Radio Shack Leopard Trek), Helder Oliveira (OFM-Quinta da Lixa- Goldentimes)





Campeonato Nacional Ciclismo de Estrada: os fugitivos

25 06 2013

IMG_2013_06_23_líderes 2

IMG_2013_06_23_líderes (2)

Desafio para os comentadores do Eurosport, como exercício de treino para comentarem devidamente o Tour. Adivinhem quem é quem.

Os cicloturistas do pelotão:

IMG_2013_06_23_3616