O minueto e a sarabanda

28 01 2016

Tenho tido muitos outros afazeres , por isso não tenho postado nestes últimos dias e o minueto do orçamento já cansa.

Pior , muito pior do que o minueto foi a sarabanda em Itália. Alguém mandou tapar as estátuas representando mulheres ou homens nus. Para não ofender o presidente do Irão…..

Qualquer dia temos de tapar a estátua de Eça de Queiroz… para não ofender os nossos muito preciosos visitantes muçulmanos, judeus ortodoxos, puritanos do Tea Party e outros assim, muito democráticos todos e que gostam de impôr ao mundo inteiro a sua forma de vida, a sua “mundividência” .

 

estátua Eça de Queiroz

Nesse dia tapem também o que lá diz e assumam a cedência perante as regras deles, a subserviência perante a ” extrema direita”  (pois é disso que se trata, aqui vejo eu a “direita” perigosa , não nos liberalismos e  nem mesmo nos “austerismos” económicos impostos de fora) . Os atentados à liberdade de expressão esses sim são a característica fundamental da extrema direita !!!!!!! E todos esses que nomeei são de facto extrema direita. E já agora aproveito para acrescentar ou confirmar o que alguns estarão agora a pensar…. sim , é isso mesmo : na minha opinião, todos os que se acham de esquerda e depois atentam contra a liberdade de expressão são também EXTREMA DIREITA!

Vivam os Franceses ! :  a França disse que seria servido vinho no jantar de receção ao Presidente do Irão e que ninguém seria obrigado a beber, haveria água e outras bebidas não alcoólicas para o senhor Presidente  Rohani e para quem preferisse. Rohani recusou ir ao jantar. Os Franceses cancelaram o jantar! BOA!!!!!!!

 





Grupo de cantares de Manhouce

24 01 2016

Quando a voz de Isabel Silvestre era assim e que, infelizmente , já não é.

Não é qualquer uma que pode cantar o nosso folclore. Ela canta no registo certo , nesta gravação. Tenho o CD desde quando ainda ninguém a conhecia. Noto nas festas populares a que tenho ido que não há grande preocupação em garantir a continuidade nas vozes femininas, geralmente são mulheres que já passaram os cinquenta. A voz pode em breve faltar, haveria que ensinar as jovens, pois , como disse, não é qualquer uma que coloca a voz neste tom. Não sou especialista em música e tenho pena, pois tenho a impressão de que deve ser cantada mesmo ligeiramente fora do tom, ou seja um infinitésimo que não se consegue registar em pauta. De outra forma soa a clássico ou simplesmente “reportório popular”, destruindo o que há de genuíno no canto dos grupos de folclore português tradicional. Por que me lembrei disto hoje? Não sei, simplesmente apeteceu-me ouvi-la e ouvir o Grupo de Cantares de Manhouce.





Houve esclarecimento? Não houve, mas já decidi

22 01 2016

Nesta campanha para eleição directa do Presidente da República pouco houve de esclarecimento. Só uns debates televisivos entre os “maiores” e depois um com todos menos uma…. Realmente já me decidi. Quero um presidente que não precise de reunir uma comissão de pessoas independentes (ou de partidos) para tomar decisões e não quero uma presidente ligada ao PS por fidelidades várias. Devo, no entanto, dizer que não gostei de ver Marcelo a passear uma raposa na gola. Pode ser que seja sintética mas o mais provável é não ser 😦 . Esqueceu-se de que há gente defensora dos animais cujo voto pode ser perdido por isso? Ou achou que havendo um milhão de caçadores , assim vai lá? Esta ideia que têm alguns Professores Doutores activos em política de, quando se têm de misturar com o “povo”, vestir um casaco menos formal parecido como o que usa o dito povo enerva-me. Mas não vejo mesmo alternativa em termos de arbitragem do sistema. Marcelo é uma pessoa imprevisível para todos, para o partido dele também e isso pode ser uma vantagem muito grande para se ser bom árbitro numa altura em que se anda a ensaiar uma política dita nova que de novo apenas tem mostrado, até agora, o aumento da despesa do Estado, que não é novidade nenhuma.
Mais uma vez , voto útil. Na presidência não basta ser boa pessoa.





A culpa das cheias…

16 01 2016


Pois , no caso do Mondego não podemos culpar os espanhóis, portanto, o diabo é mesmo o culpado de tudo e prontos…
Temos uma canção parecida mas não me lembro , não encontrei, pode ser que me lembre depois 🙂
Já encontrei não é canção é uma história e aqui está o texto no blog “A matéria do tempo”. Não conhecia o blog mas a formiga levou-me até ele. Parece-me interessante e a música é boa.
Quanto à história, a nossa acaba melhor que a da rã de Espanha 🙂 Rezemos!





Da apropriação da arte…

15 01 2016

A arte é mesmo a zona mais livre da produção intelectual humana. Impossível apropriar-nos de uma pintura, de uma música , de um livro, excluindo os outros da sua fruição e apropriação no sentido de tornar sua, não no sentido de reclamar autoria. O autor pode tentar enquanto vivo e a família até 50 anos da sua morte, ganhar algum com o produto, mas impedir que ele seja visto, ouvido ou lido, impossível desde a primeira exposição ou publicação. No campo dos ditos cantores e poetas de intervenção acontece algo muito típico de uma pequenez que é infelizmente lusa. Enquanto somos excelentes na arte de piratear , vamo-nos apropriando desses cantores e poetas conforme a área política…(com exclusão dos “outros” do direito de fazerem suas também algumas obras) O fenómeno Zeca é típico. Considerado pelo PCP e todos à sua direita como esquerdista, durante o PREC e depois enquanto foi vivo, foi depois sendo progressivamente apropriado pelo PCP e pela extrema esquerda que ainda não era nascida quando Zeca cantou e foi parar à cadeia, quando muitos discos foram proibidos… quando era perigoso ouvir essas canções proibidas…e sobretudo cantá-las. Zeca Afonso depois do 25 de Abril tornou-se mais explícito nas canções de intervenção , o que determinou uma temporalização, uma contextualização geográfica que diminuiu a universalidade da maior parte das suas canções desse tempo. No entanto, ficaram muitas que são poemas universais. Grândola tornou-se um símbolo e muitos que a cantam não sabem onde fica tal sítio. Quem acha que pode dizer este cantor é dos meus pode ficar feliz, mas não pode dizer que esse cantor não é de mais ninguém. Mesmo aqueles que não eram nascidos quando ele morreu têm todo o direito de se reverem nele. Todos podem admirar um cantor só a título póstumo. Não vejo nenhum oportunismo nisso, pelo contrário, ao menos a sua morte fica menos absurda, ele continua a viver no ccoração de mais pessoas.
Podemos achar estranho e mesmo divertido ver Sarkozy a cantar o hino da resistência (eu vi, cantou mesmo, quando era presidente numa cerimónia de homenagem) , mas não podemos dizer que não faz sentido nenhum, pois não sabemos mesmo qual seria a sua postura se estivesse em França durante a ocupação nazi. Foram sobretudo os comunistas que resistiram , isso é sabido , mas não foram só eles que combateram o nazismo, tanto na resistência como sob diversas formas, algumas eventualmente de eficácia superior à da resistência armada em termos de vidas salvas. Mas, na minha opinião , apenas pontualmente, ou seja, de facto, não havia na altura alternativa política, só mesmo a resistência armada poderia enfraquecer os ocupantes, a colaboração enfraqueceu a resistência. No entanto , não julgo quem achou que poderia salvar mais vidas com a colaboração. Nem julgo os excessos da resistência. Eram tempos de horror e de terror por parte dos ocupantes que dificilmente conseguimos imaginar, que determinaram uma luta que tinha de ser clandestina, funcionando por células, com atuação de tipo guerrilha, com todos os excessos inerentes tanto externa como internamente. Tudo isto para defender que o facto de uma determinada canção resultar ou enaltecer uma resistência violenta não significa que deva ser banida e considerada terrorista se cantada noutras situações. Teremos obviamente de a ler de forma adaptada aos novos tempos. Um exemplo muito claro disso é a Marselhesa. Nem é preciso conhecermos todo o texto, bem datado, o refrão diz tudo. Quando a cantamos estamos a pensar na bandeira ensanguentada? No sangue impuro a encharcar ou correr pelos campos de cultivo (se bem entendi o texto, é isto que é dito… )? A Marselhesa tornou-se um hino de resistência ao terrorismo islâmico ou outro qualquer, já não é apenas o Hino Nacional da França. Todos quantos se sentiram ameaçados nos seus direitos, liberdades e garantias, na sua civilização, no seu modo de viver, apropriaram-se da canção definitivamente.





R.I.P David Robert Jones ( David Bowie)

12 01 2016


Aqui termina a atuação rezando um Padre Nosso de joelhos por Freddie. Rezei com David e por David agora quando vi o vídeo. Não é o meu género de música, não o conhecia bem, mas sei que gostava sempre que o ouvia na radio. O último disco é macabro (ou sarcástico?) nas imagens, resolvi não colocar, mas parece-me de génio.





Silêncio cúmplice (post com linguagem que pode ferir pessoas muito decorosas)

12 01 2016

Silêncio cúmplice! Da ESQUERDA alemã! Da esquerda europeia, da esquerda portuguesa, sobre o que se passou em Colónia na noite de São Silvestre (passagem de ano para quem não saiba) . O que se passou, nem me vou dar ao trabalho de descrever ou colocar links, procurem se não sabem, sobretudo os que andam ocupadíssimos com as presidenciais. Só adianto que entretanto o número de queixas (vítimas que apresentaram queixa) já atingiu 500. Coisa parecida aconteceu em Hamburgo e salvo erro , na Dinamarca. Esta é a forma que a canalhada macha e jovem que está já com o estatuto de refugiado da Síria encontrou de agradecer o convite de Merkel. Isto não é morder a mão de quem protege e alimenta, é cuspir na cara e na comida. Os media   continuam a tentar que se pense que os agressores/violadores são do Magreb (Algéria, Marrocos) . Que esses roubam pois é sabido, mas agressões sexuais , isso é novo. A polícia alemã tentou colar os meleantes carteiristas a estes ataques, como eles não têm sindicato , não podem desmentir. Mas os muçulmanos desses países já se vieram demarcar, dizendo que foram os “recém chegados” . Chegou a falar-se de serem maioritariamente sírios, isso não se confirmou. São maioritariamente da Algéria e Marrocos . O que faz a esquerda? O que fazem as mulheres alemãs, que não estão na rua massivamente a exigir a deportação imediata dessa gentalha? Ah é preciso julgamento, pois, e é preciso que apanhem pena superior a 3 anos para serem deportados… isto não é humanitarismo isto é pôr-se a jeito, para não usar expressão mais forte. Já disse no face e repito, se estivesse em França, eu votaria útil: MARINE ! Pois é preciso que ela esteja à mesa de negociações e mesmo faça parte do governo para que algumas das suas ideias quanto à imigração sejam levadas a sério. É isso mesmo, chamem-me os nomes que quiserem, mas primeiro sabem que mais? Primeiro sejam barcos, chalupas, escaleres, navios, sejam isso tudo, os que não levantam o cuzinho do sofá ou da cadeira do computador, que mal conhecem mundo a não ser dos livros e TV. Vão até Bruxelas e dêem um passeio naqueles bairros… ou Marselha. Para terem só uma ideia muito vaga, mas muito vaga ideia, têm o Martim Moniz. Calem-se os que nunca foram mulheres , se não me dão razão, ao menos calai-vos , o que é só continuarem o estado em que estavam : O SILÊNCIO CÚMPLICE! (em maiúsculas sim , pois representam grito). Nojo é o que sinto pelos machotes portugueses sobretudo os que se dizem feministas . Deixem -me diver-vos, vão BARDAMERDA……………………….! (estou mesmo a perder o “decoro”, mas podia usar outra expressão, convenhamos que estou já a fazer um compromisso) .
Acho simplesmente que refugiados deviam ser por esta ordem: mulheres com crianças, velhos, homens com família (com crianças) , algumas mulheres em risco (de  apedrejamentos , violações e coisas parecidas que mais não são que SHARIA) mas  parava aí. Os jovens, sobretudo os machos adultos que fiquem a lutar pelo seu país, já que têm tanta testosterona, gastem-na lá, em que lado , não me interessa a ponta de um corno!
Quanto à extrema direita: Onde estavam vocês naquela noite, cobardes? A incendiar prédios de famílias de muçulmanos pacatos? BARDAMERDA…. ……..! Para vocês também. Tristeza e nojo só de olhar para vocês e para as vossas bandeiras, venha o diabo e escolha, entre vocês e os que  violaram , apalparam (houve dedos em todo o lado, incluindo a vagina), insultaram e roubaram as mulheres jovens indefesas na praça da Estação Central de Colónia!

Lamentável mesmo é ver a displicência das mulheres feministas alemãs. ONDE ESTÂO VOCÊS?
Mulheres da Europa, informem-se sobre o gás pimenta ou taser, sobre a legalidade da coisa. Está na hora.

Este post foi actualizado em4 de Abril de 2016.

PS Entretanto a esquerda informou que afinal as queixas de abusos sexuais não foram 900, essas eram queixas de roubo e as que também inluíam os abusos sexuais eram “só metade”, ou seja 450…  Se isto é esquerda eu , de facto sou de direita.