Geração netflix?

21 10 2021

Fiquei a saber quando revi Ney e li nos comentários que a geração netflix está adescobrir tarde Ney Matogrosso… Deixo este vídeo, como o nosso Zambujo. Podem ver e ouvir e verificar como está quase intacta a voz de Ney , a voz e não só. E está compostinho :-). A letra da canção de Noel Rosa também vale a pena.





Interpretações (“Meu sangue latino” de Ney Matogrosso)

21 10 2021

Estive a rever Ney Matogrosso em vários momentos. Incrível como aos oitenta conserva a voz ainda muito bem, tendo recentemente gravado um disco. Mestre do espetáculo como sempre!

Em uma das visualizações do “Meu sangue latino” está um comentário de alguém que não interessa nomear (acho irrelevante) com uma extensa informação sobre o significado de cada verso…. pois é, nunca tinha lido esta canção como canto de resistência dos povos nativos do Brasil… e continuo a achar estranho , mas isto é sinal de que a canção é mesmo boa… o que não suporto é esta tentativa de fixação de significado. Posso ser um bocado ignorante, mas nunca a interpretei desta forma e a questão que me coloco é saber por que razão, nesse caso, não se chama a canção “Meu sangue nativo” até cabia e rimava… mais ou menos. Vejo a canção como canção de resistência, sim. Mas mais como resistência a um regime homofóbico e a uma igreja que define o que é o amor santo …. atirando para o pecado e as trevas quem se atreve a amar de outra forma, mas longe de mim querer também impor este modo de ler ….

“Minha alma cativa” ….

Vão ver no Youtube , podem escolher qual a época que preferem, pois cantou-a também em 2019 com 78 anos.

P.S. : Quem não gosta dos concertos mais espetaculares em que aparece com pouca roupa e acessórios vistosos (ou não), talvez deva pensar um pouco… deve haver uma razão para se não gostar… pode ter sido resultado de uma educação algo homofóbica … ou não, pois gostos e cores……





Vespa crabro no outono (de preferência não matar!)

3 10 2021

Vou deixar o link para sabermos o que acontece nesta altura. Não esquecer que a crabro é nativa e compete com a invasora, a asiática. Não é para matar. Tenho um ninho na oliveira velha ( a tal que terá sido plantada por volta de 1640 ou algo assim) . Não tinha visto tal ninho durante o verão , ontem quando podava as roseiras e piracantas, achei estranho haver muito movimento num dos buracos da casca da oliveira . Que a oliveira é oca já sabia e que elas gostam de árvores ocas também sabia, pois em 2012, por altura da reconstrução da casa tivemos de mandar matar o ninho que lá estava pois o pessoal recusou-se a trabalhar no corredor de voo das ditas. Foi pena, mas teve de ser. Depois estiveram muitos anos sem fazer ninho ali. Este ano pelos vistos fizeram e nem dei por elas, só agora : estão a sair do ninho e ficam um pouco ali a passear depois voam e chegam e ficam e voam e andam por ali…. Nada agressivas mesmo. Compreende-se, o ninho está a acabar e não a começar, por isso não têm de o defender. Estão a acasalar. Não sabia , mas encontrei este artigo muito interessante no wilder.pt.

Não vi rainha nenhuma à boca do ninho, mas entrou uma (era enorme, por isso digo que seria rainha) na casa de banho de cima, deixei-a em paz (quando a ouvi e vi decidi ir à casa de banho de baixo , por razões óbvias 🙂 ) fechei a porta e deixei a janela aberta , calculo que tenha acabado por sair, espero que não tenha feito uma casinha para hibernar, pois isso não posso deixar. Acho que saiu, não consegui vislumbrar nenhuma casinha :-).

Também não gostaria nada que na primavera fizessem ninho na oliveira, pois a casa está a cerca de 3 metros…

Só se vê uma e mal, tirei a foto sem tripé , já a melhorei , mas não dá para ver a vespa ao pormenor. No entanto é a crabro de certeza. A asiática tem mais preto no abdomen , tem as patas amarelas, o tórax é preto , na crabro é castanho. Além disso a asiática prefere ninhos lá no alto das árvores em bola pendurada, a crabro prefere fazer o ninho nas árvores ocas ou dentro de ruínas ou casas abandonadas (aí também faz bolas grandes , mas são diferentes as aberturas). Ver post anterior sobre as diferenças.





L’ Enfers du Nord 2021

3 10 2021

Ainda não acabou 🙂

https://racecenter.paris-roubaix.fr/en/

Ok Acabou assim:





Anoushka 2021

3 10 2021

A nova posição do sitar não altera nada no virtuosismo nem na sonoridade, penso eu…





Filmes que perturbam e exorcismo

28 09 2021

Há vários. O “Exorcista” foi filme que gostaria de nunca ter visto. Como foi possível a uns pais autorizar que a sua filha fosse a protagonista? Não dá mesmo para compreender. Mas escrevo isto para dizer que não consegui ver o filme de ontem na RTP 2, “El Olivo” traduzido por “A Oliveira do meu avô” parei de ver quando vi a oliveira a ser arrancada…. Acabei de ver agora. Quantas foram aqui em Portugal? Quantas estão nos Emiratos, quantas morreram pouco depois do transplante?Quantas vão a caminho?

Putas e chulos do meu país que vendem a oliveira e mais o avô , a avó e a mãe o pai ou as suas memórias e mais as irmãs e irmãos se pudessem , pois a alma já venderam há muito, vão arder no inferno!!!!!!!!!!!!!!!

Pois, os palavrões são para exorcizar os demónios, os deles !!!!!!!!! Pode ser que resulte.





O adeus a Jorge Sampaio

12 09 2021

Assisti à ceremónia oficial toda, nem vi a missa como costumo, ao Domingo. De registar a escolha de duas músicas de requiems, Mozart e Fauré, numa cerimónia onde esteve ausente qualquer elemento eclesiástico , calculo que por decisão expressa do falecido. Até que me soube bem, estou zangada com a igreja católica já há algum tempo, vejo a missa pela televisão , para quase sempre ficar com a sensação de que apenas lá estou para rezar o Pai Nosso com outras pessoas ainda que à distância…. Esse é, para mim, o segundo momento mais elevado da missa, sendo o primeiro a elevação da hóstia, quando se diz “Eis o Cordeiro de Deus…” ,não a consagração, pois isso foi o que permitiu à Igreja excomungar pessoas.

Não quero fazer comentários políticos, apenas digo que respeito a figura de Jorge Sampaio, a pessoa íntegra e coerente com os seus princípios que sempre foi. Como estive no MES (eu era uma miúda de 20 anos) , lembro de o ver a falar num congresso , mais nada, nem me lembro do que disse, desse período ficou mais marcada a presença de Augusto Mateus e Ferro Rodrigues, mas também não me lembro do que disseram…..

Quanto aos discursos políticos, apenas registo que gostei do discurso de Marcelo.

Achei bonito que o filho tenha participado na última etapa de transporte do caixão, desgosta-me que este gesto tenha tendência a desaparecer.





Sobre as voltinhas dos gatos e dos cães

10 09 2021

Tenho tido discussões em grupos de animais perdidos e achados sobre deixar dar voltinhas ou não. Ora acho e persisto na ideia de que os gatos são animais cuja domesticação nunca foi total, eles precisam da liberdade e só são felizes (mesmo) com ela. Já os cães não devem andar soltos à vontade deles, são animais pouco preparados para sobreviver sozinhos se se perderem , são gregários, precisam de matilha. Ora uma matilha de cães que se tornem selvagens é semelhante a uma matilha de lobos, a diferença não é muita, como vimos nas notícias sobre o recente ataque a ovelhas. Os cães não são gatos, aliás a lei é clara, cães na rua só à trela. Claro que se a pessoa não tiver condições para o passear não deve ter cão, pois confinados são ainda menos felizes, na minha opinião, embora eles se habituem e se não saem logo em pequenos , ganham medo do mundo lá fora. Também os gatos de apartamento podem ser felizes , mas muito menos do que quando têm liberdade, penso eu. É uma questão fraturante, pois há associações que se dão ao luxo de não dar gatinhos a quem os deixa sair. Ora eu podia mentir e dizer que nunca os deixo sair, mas não está na minha natureza. O último gatinho adotado veio de um particular que fez um apelo desesperado num dos referidos grupos sociais. A primeira coisa que eu disse foi que o deixaria sair por isso, se não quisesse , não mo dava. Deixando sair , é melhor depois das vacinas, mas, quanto mais cedo melhor, para aprenderem os riscos, conhecerem os próprios limites (por exemplo, na subida de árvores, aprendem que se sobem têm de descer por si), verificam que uma estrada é um lugar por onde passam rinocerontes a alta velocidade, um lugar a evitar. Atravessam-na sim, mas sobretudo de noite , quando tudo parece calmo. Um risco que é aceite, o preço da liberdade é esse, mas só mesmo quem nunca assistiu à alegria de um gato a primeira vez que descobre que há mais mundo, é que consegue tê-los presos numa casa térrea rodeada de campo e árvores. Quanto aos pássaros e vida selvagem que são usados como argumento contra a liberdade dos gatos, só digo que essas potenciais vítimas sabem que há gatos, os que são imprudentes morrem, ficam os prudentes, e foi assim que na Europa os pássaros não se extinguiram por causa de gatos. Todas as espécies extintas na Europa a nós humanos devem a extinção. Na América , Austrália e outro novo mundo como as nossas ilhas , pode ser diferente, os pássaros não evoluiram com os gatos soltos. Desde milénios que na bacia mediterrânica e Europa, o gato foi domesticado para andar solto, para caçar ratos e ratazanas que ,por sinal, também não se extinguiram. Para quem não sabe , quem usa veneno está a extinguir os predadores que deles se alimentam, cobras, mochos e corujas, milhafres, gatos selvagens , fuinhas, texugos, ginetas, raposas, etc. Quem usa veneno nos campos não pensa no que está a fazer ao biótopo, nem sabe o que é tal coisa. Para quem se está nas tintas para as consequências dos venenos (nos quais se incluem todos os pesticidas) também as árvores são objetos para semear ou plantar onde e quando dá jeito, para cortar se fizerem “lixo” ou quando estiver na altura de fazer dinheiro vendendo as árvores jovens às celuloses . Pois é , não resisto à minha farpa contra estas corporações…. só lhes compro o papel para a impressora por não encontrar outro à venda.

PS: Relembro que , a páginas tantas da pandemia, decidi não fazer mais nenhuma referência a óbitos de famosos. São perto de 18 mil não famosos que morreram , só do covid, pois não nos dizem a cada dia quantos morreram a mais de outras doenças em relação a período homólogo pré-pandémico. Por isso, este artigo, começado aliás no facebook, foi transferido para o blogue no dia de hoje por mero acaso. Não quero ofender ninguém, mas para mim o planeta (e todas as criaturas que lá vivem) é mais importante do que qualquer acontecimento meramente humano, embora, claro está, compreenda bem por experiência própria que não seja assim quando algum familiar próximo parte. Condolências às famílias de todos os que partiram hoje.





Finalmente, chove!

7 09 2021

Choveu bem, mas já acabou , à hora que escrevo, 11:30 está já sol. Só espero que venha mais chuva que mantenha a temperatura à roda dos 25 graus. Se continuar a chover amanhã, já ajuda bastante não só as plantas, mas a segurança das pessoas pois torna-se mais difícil aos energúmenos pegarem fogo e sobretudo que da ignição dos energúmenos resulte grande área ardida. Só quero disto, um pouco de chuva, um pouco de sol. Não preciso de sol na eira e não vejo por aqui ninguém já a precisar, cereais já ninguém semeia, o milho quase desapareceu, para alimentar animais é mais fácil ir à loja e comprar a maldita soja , responsável pela destruição de muita floresta tropical e não só. Também lá compram os venenos com que eliminam insetos, ratos e toda a fauna que deles se alimenta… já escrevi sobre isto , eu sei, mas este blogue serve para desabafar e por isso, haverá sempre temas recorrentes. O blogue nasceu para questões de educação e problemas profissionais dos respetivos funcionários, sejam docentes ou não, mas o tema do combate químico a pragas deveria fazer parte do currículo , todos os inconvenientes dele decorrentes deveriam ser explicados. Muitos , mesmo muitos, saem da escola e nada aprenderam que os impeça de fazer o que os pais, os avós fizeram, continua tudo na mesma. Não me admiro disto pois mesmo os que atingem o nível superior de educação acabam por achar que são muito inocentes no aquecimento glogal, que são os mauzões das grandes empresas que aquecem o planeta, nem lhes passa pela cabeça comprar um carro elétrico, ou pressionar os poderes políticos e empresas fabricantes para baixarem o preço do dito que é , de facto, incomportável. O que querem é fazer brum brum…. e matar gente na estrada (mortes onde por vezes eles próprios se incluem, o que é bom para quem precisa de orgãos , caso se aproveite algum)… Agora com chuvinha em cima da poeira que se foi acumulando nas estradas é maravilha, dá para voos espetaculares!

Brum…brum….





Rotina de Verão

24 08 2021

Pelas 19:30, regar, ou melhor refrescar a terra.Tenho quase a certeza de que, há 50 anos, ninguém regava estas laranjeiras velhas , o terreno mantinha água durante o verão, havia uma espécie de nascente num nicho que alimentava o “tanque das rãs” . Agora só há água no tanque dos peixinhos, das rãs e dos nenúfares porque os alimentamos, o tanque e os peixinhos, as rãs safam-se bem sozinhas e agradecem a água e os nenúfares. As laranjeiras são velhas sim, não sei quantos anos terão, mas aproximam-se dos 100 anos. Sei que meu pai as mandou podar para rejuvenescimento por volta de 2002 ou 2003 e por isso produzem ainda. Não as sei podar, receio matá-las , mas acho que algumas não perdiam nada se fossem podadas de novo. Sei que por essa altura, no virar do milénio, já era preciso regá-las, pelo menos uma vez por mês durante o Verão ( com maiúscula, não sei o que diz o acordo ortográgico nem quero saber, sei que é aquela estação cada vez mais comprida que eu detesto) . Hoje nem abri as portadas da sala, por isso a consegui manter a 26 graus. Voltando à rega, há muito mais do que as laranjeiras a precisar da água. Água fóssil e isso faz-me pensar…. Entretanto as costas protestam com o exercício de puxar a mangueira de 50 metros… Vai-se fazendo enquanto houver água e forças …. O mês está quase a acabar, o freixo vai deixando cair as primeiras folhas num processo lento, mas quase continuo, as folhinhas caem lentamente , rodopiando no ar, dá por momentos a ideia de que está a nevar…. A uva está pintada, amadureceu mais cedo e a produção foi pouca, culpa nossa acho eu, tratamento tardio… As oliveiras floriram imenso na primavera , mas entretanto caiu tudo, este ano não temos azeite, tal como no ano passado, pensava que era ciclo bianual, mas não. No entanto ainda temos um último garrafão de 2019. Voltando à rega , é bom já não levar com o sol nos olhos , pelas 19:30 ele já está bem baixo, outro sinal de outono, pelo menos a duração dos dias ainda vai marcando as estações…