Petição pela revogação do decreto nº 96/2013 o que liberalizou a plantação de eucaliptos

22 06 2017

Há esta petição a circular, esta sim parece ser a nova, a outra que anda a circular era do tempo da Cristas, é interessante saber que havia essa petição e teve as 4 mil assinaturas que obrigam à discussão em plenário. Ora o resultado… está-se a ver. Agora devemos com mais premência assinar :

Basta que não vão de férias antes de revogar o Decreto-Lei n.º 96/2013, de 15 de Julho de Cristas. que tem agora as mãos sujas de sangue!!!!
Petição para assinar





Pois , o CM será tudo isso, mas……. e algumas impressões sobre os “últimos dias”……..

22 06 2017

O CM é muito criticado, por explorar a emoção, mas , penso  que foi o único que tem divulgado a cara e NOME das pessoas que morreram e isso é fundamental, pois não foram vacas. Podemos evocar metaforicamente o “silêncio dos inocentes”, mas apenas metaforicamente pois, neste fogo morreram muitos animais de quem não se fala mas dizer que foram 63 civis e pronto já está não se admite, não pode ficar assim,  foram pessoas que tinham família, foram crianças , jovens e adultos que tinham nome, idade futuro e projetos de vida ou de resto de vida ou de uma vida toda. O CM é aquilo que sabemos, mas o ano passado foi o CM que esteve em São Pedro do Sul quando o maldito CIRESP ou a incompetência humana deixou São Pedro do Sul entregue a si próprio durante 3 ou 5 dias , já não sei. O CM é dos primeiros a chegar aos sítios e diz os NOMES das terras, quando os responsáveis dizem à comunicação social que não se recordam de momento dos nomes das terras onde está gente a morrer encurralada pelo fogo. Como dizia hoje um popular : “em Lisboa devem pensar que são só uns parolos das aldeias que estão para aqui perdidos nos montes …” parafraseando. Eu preciso dos nomes de todos, quero saber que futuros foram ceifados pela ganância das celuloses em conivência com os poderes públicos.

E tenho sempre recorrido ao CM pois eles estão lá e informam, estão naquelas terrinhas com  nome “esquisitos” de que ninguém da CIDADE se recorda , nem o comandante operacional nem ministra na altura dos briefings.  E eu preciso de saber por onde anda o fogo, e ninguém responsável diz, o CM diz e eu vou ao google maps e posso ver como vai evoluir tendo em conta o vento indicado IPMA. O Prociv é muito vago na posição precisa dos fogos. também lá vou sempre diariamente no verão ou aos fogos.pt quando a página do prociv (proteção civil se vai abaixo). É que eu preciso de saber quando devo começar a molhar tudo à volta da casa. Tenho folhas de carvalho pretas depositadas no meu pátio de mozaico atrás da casa e o fogo estava ainda a 40 kilómetros. Como eu, todos nós!!!!!!!!!!!!

Uma palavra de reconhecimento aos bombeiros de Vila Nova de Poiares que respondem ao telefone (telefone normal, claro que não vou ao 112 quando apenas quero saber se há fogo perto). É que o cheiro e o nevoeiro seco de cinza era tal, na segunda feira, que não dava para saber por onde andava o fogo e quando se levantou uma ventania quente com o cheiro da árvore dos infernos queimada e cinzas a bailar ,tive de telefonar, tinha amigos de visita com dois bébés, um de oito meses outro de 3 anos. Por acaso, eram alemães e vieram visitar-nos num dos piores dias, onde a frente de fogo em Góis e Pedrógão era já de 70km, era isso que diziam na tv.  Eles estão agora salvos na costa. Tudo correu bem até agora aqui no concelho todo ou quase todo eucaliptado, mas há ainda muito Verão pela frente e a ministra vai ser a mesma eo CIREP vai ser o mesmo e os canadairs franceses, marroquino, espanhóis, italianos vão embora quando se extinguirem estes fogos da morte em massa.

 

 

 

 





Sem comentários

22 06 2017

ocupacaoo-florestal-JS Uva_11_06_2015





Momento musical, para amenizar….

20 06 2017




Há duas estações em Portugal: o Inverno e o Inferno

18 06 2017

Ontem , enquanto escrevia um post sobre incêndios urbanos, morria gente carbonizada na N 236 , uma estrada de acesso à via rápida  ( uma delas, o IC8, disseram na TV) . Devo dizer que se era acesso devia ser o único. Parece que as pessoas fugiam do fogo, tinham abandonado as suas casas. por isso já não sei o que é preferível, se ficar ou se sair… Já escrevi muito no face sobre o que penso deste horror. Nas imagens vemos carros carbonizados, corpos cobertos com mantas na estrada, um cenário de guerra. Vemos um pinhal totalmente ardido. Fogo de copa. Mas ninguém mostra as frentes que ainda grassam. Ninguém conta como foi e onde começou. Mas eu sei que o Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos , toda essa área aliás , até Castelo Branco e não pára aí, é de eucaliptos. Eucaliptos até Espanha. Quem pegou fogo de copa a um pinhal de pinheiros altos? O eucaliptal a arder, que arde sempre em fogo do copa , explode aliás. É mais rápido a arder, dizem os defensores do eucalipto. Pois é , ele não arde, ele explode, enviando o material a arder para todo o lado. Os ventos , sempre nomeados como os culpados são originados pelo próprio fogo. Se não há modelos científicos que permitam a previsão da direção principal do vento para tornar mais eficaz o combate, deveria haver. Mas na origem disto tudo está a FALTA DE ORDENAMENTO FLORESTAL em todo o país mas sobretudo junto a uma via de circulação importante. Até agora apenas um popular tocou com o dedo na ferida. Aquela estrada não era uma estrada municipal nem uma nacional que já ninguém usa. Quando se demite , senhora ministra da administração interna? Estava lá por trás do Presidente e nem uma palavra disse, apenas olhava de nariz empinado, com aquela cara de … bem nem vou dizer mais nada sobre ela. Tenham vergonha, Costa e geringonços! Tenham vergonha Pedro Passos Coelho e Cristas! Foi o governo de PPC que acabou com a lei que obrigava ao licenciamento de plantio de novas florestas ou reflorestação de áreas ardidas. Que fez Cristas para prevenir os incêndios florestais, para além desta lei de fomento do fogo por tudo quanto é lado , autorizando o plantio de eucaliptos sem qualquer freio? E vocês geringonços, que fizeram? Costa prometeu que com ele se iria proceder ao ordenamento florestal e até prometeu começar o trabalho de construir um cadastro dos terrenos deste desgraçado país. Que fez para além de comemorar a saída de Portugal do PDE (Procedimento por Défice Excessivo)  e da candidatura à agência europeia do medicamento?????





A torre do inferno foi lá … E cá, como é?

18 06 2017

Como estão as nossas torres? Se até apartamentos de luxo têm sistemas contra fogo que não funcionam quando há fogo, como estará o parque habitacional deste país quanto à prevenção deste risco? Quem controla, quem verifica os equipamentos? E as tintas que usamos nos revestimentos, internos e externos são regulamentados?

Uma pessoa em Londres disse que o que se passou na torre do inferno constituiu “Corporate man slaughter”. É isso mesmo, aqui seria homicídio por negligência. Aqui a justiça é tão morosa e complicada que dificilmente se encontrariam os responsáveis e se se encontrassem entretanto já tinham aberto falência. A falência poupa-os na responsabilidade civil mas não na criminal! Será a justiça diferente no Reino Unido? Não me parece , pois não eram pessoas como os Mccann que lá viviam, eram sobretudo imigrantes e a “ralé”…

Não é o facto de haver negócios de milhões na prevenção que nos vai fazer pensar que a prevenção é má coisa, não vos parece? As empresas fornecedoras dos extintores e equipamentos instalados dentro de apartamentos deveriam obrigatoriamente incluir contrato de manutenção, como acontece com os elevadores. Isto pode fazer-se por lei nacional. Há quem prefira correr o risco e não pagar contratos de manutenção e vistorias… pois é, e muitos destes têm um BMW classe 5 estacionado na garagem ou na rua… cada um terá as suas prioridades, pois, mas as despesas estatais que os contribuintes têm de suportar em impostos com estas situações de desgraças perfeitamente evitáveis também custam a pagar. Conheço gente assim. Gente que nem segura o imóvel nem o recheio e depois pede , exige ao Estado que lhes dê casa e mobília… enfim, para não falar já daqueles que acham que não têm de segurar as suas casas pois isso é por conta do condomínio. Neste último ponto há legislação e o seguro de cada fração é ou era obrigatório. Mas , quem fiscaliza?

A construção estará devidamente regulamentada? Há saídas de emergência suficientes? Portas corta-fogos? Cada construtor pode colocar o que lhe apetecer nas paredes interiores e exteriores de um prédio? As renovações são regulamentadas? Pois se não são deviam ser e as licenças deveriam ser passadas mediante especificações de materiais a usar… e obviamente, a obra deveria ser fiscalizada, durante e depois da execução. As câmaras fazem esse trabalho?…

Bem , agora um comentário de pé de página, por assim dizer. Tenho visto regularmente na M6 o programa “Maison à vendre”. E aí se renovam as casas e apartamentos com baixo orçamento. Parece que a eletricidade e canalização são sempre renovadas por profissionais , mas o resto não. O resto dá pelo nome de “home staging” . Ora o que mais me impressiona é ver como os azulejos da cozinha e casa de banho são cobertos por resinas sintéticas (nas cores da moda ?!), os mosaicos por vinil!!!!! As tintas das paredes não sei o que são, mas não estou muito tranquila. Portanto, se pensarem em renovar tenham em conta a inflamabilidade e combustibilidades dos materiais!!!!!!!!!!!!!! Mandem a moda à fava! O apartamento está datado? Pois estará sempre, a renovação de hoje amanhã saiu de moda, e depois ? Vão colar vinil sobre o vinil? Mais resina em cima da resina? E depois vão achar que tudo ardeu depressa demais se , salvo seja, houver fogo?

E que tal ter também um extintor dentro de casa? Ao menos uma mangueira, pode ser que não cortem a água… Um para-quedas poderia ser muito útil também, quando se vive muito alto. Pode incendiar-se? Pode não abrir? Pois pode, mas é melhor do que o mergulho de desfecho fatal garantido! Custa dinheiro? Pois custa, tal como custa dinheiro o moto 4 , o BMW, o VW , o Audi, o Mercedes …. e outros assim… comprem uns carritos mais baratinhos e igualmente seguros pois hoje todos os carros são seguros , se houver condução prudente.





Perde-se tempo…

12 06 2017

Ou ganha-se alguma calma e distanciamento? Estou a referir-me ao tempo em frente ao computador, no facebook por exemplo; em frente à televisão a ver séries americanas ou inglesas, sempre com o mesmo formato… Pois é ,faço isso diariamente. Preciso desses momentos. O face para me conectar ao círculo pequeno, mas felizmente muito diverso que é a minha pequena rede. Para saber o que se passa na localidade onde resido , para conhecer as preocupações das pessoas, sair um pouco do meu reino de um hectare. Para poder participar ou ficar com a ideia de que posso alterar alguma coisa, por exemplo, assinando petições , alertando ou informando-me sobre questões locais ou menos locais. Quanto à televisão, claro ,há as notícias. Aqui há uma espécie de caos… vou variando de canal para não ficar com visão de túnel. Preciso das séries para esvaziar a cabeça … resulta mesmo, sobretudo se forem de formato rotineiro e previsíveis. Mas o sentimento de certa culpa persiste, de se ter perdido tempo. Os nossos antepassados não tinham televisão, eu própria me lembro (sou mesmo antiga , pois) de tempos em que só havia a rádio diariamente e o cinema de vez em quando. Depois veio a TV, mas só com dois canais. Resultado, havia dias em que “nada havia” na TV. Vou tentar lembrar-me das alternativas. Uma delas era jogar à canastra em família… não lhe achava grande piada, nem sempre corria bem 🙂 . Outra que era específica do Verão era a família toda (avós incluídos) ir passear na estrada à noite entre os pinheiros, à luz da lua, na estrada que hoje é bem perigosa , o trânsito nos tempos antigos era quase nulo, agora passam muitos carros a todas as horas embora menos à noite, mas a velocidades assustadoras para as características da estrada. Mas conversava-se, ria-se,  não havia eletricidade, viam-se as estrelas com muito mais nitidez, era um espetáculo , agora impossível, mas que nunca esqueci. Os satélites eram novidade, e procurávamos encontrá-los. Estrelas cadentes e pirilampos davam magia a essas passeatas. E conversava-se mais e lia-se mais. Saudosismo? Nem por isso, apenas memórias agradáveis que ficam hoje registadas no ciber-espaço neste post.
Agora vou ali ver os “cold cases”. Depois de um dia de desgraças associadas à estação balnear, depois de ter salvo, ou talvez não, um coelho bravo jovem (pequeno, mas não bébé) que me trouxe o Froomy e o perdeu por trás da cama :-). Foi difícil apanhá-lo, mas consegui . Depois de instalar o animal em sítio seguro e calmo, aproveitei para aspirar o cotão que se acumulava por baixo da cama que tem gavetas e portanto raramente se limpa, pois tem de se tirar as gavetas para se poder limpar 🙂
O bichinho está na caixa transportadora dos gatos, a recuperar. Mas acho que não recupera, tem uma pata partida e não sei que mais lesões possa ter. Coloquei-o sobre feno, com tigela com água e alguns legumes. Amanhã terei de o levar ao veterinário. É apenas um coelho , eu sei, e vou gastar dinheiro para ele acabar mais cedo ou mais tarde no tacho de alguém…, mas não consigo matá-lo e não vou libertá-lo, com a pata partida, na floresta , onde há predadores e não são apenas gatos…
Pronto vou esvaziar a cabeça com os casos arquivados… Boa noite!