The starry night

21 09 2018
Anúncios




A Fenprof também lá queria estar , nos prós e prós?

19 09 2018

“goste-se ou não são elas (as organizações sindicais) que , institucionalmente, representam os professores (…. ) diz-se algures no comunicado da  fenprof

bem é melhor ler bem a lei sobre tal representação ,pois , para os programas , conteúdos, currículos, teorias pedagógicas e questões didáticas, projetos educativos, tenham santa paciência, mas não representam professor nenhum!!!!!  Era só o que faltava agora os governos tinham de ouvir os sindicatos sempre que quisessem fazer reforma curricular. Tinham de ouvir os professores sim, mais ou menos bem representados pelas associações das disciplinas que leccionam e sobretudo as escolas. Os diretores não representam os professores pois aceitaram ser os elos de transmissão do Governo para aplicar tudinho que o ministério produza, mas institucionalmente representam as escolas . É nas escolas que estão os professores embora os diretores representem muito mal os professores como se verificou no tempo da MLR que os elegeu como seus únicos interlocutores para tratar de assuntos de política educativa , tanto de ordem funcional como de ordem laboral…. e aí sim , são os sindicatos que os representam por lei. Para a política educativa no que diz respeito a programas, currículos, avaliação externa e interna dos alunos, haveria de se conseguir uma representação profissional para essas questões funcionais!!!! Os Sindicatos querem também dar formação sobre as soft skills, é isso?

Sei que dirão que não se podem separar as duas questões ,a laboral da funcional. Claro que não ,se não houver bom senso, pois se os operacionais do PS quiserem uma vez mais criar uma situação em que tudo se exige dos professores, nos timings que muito bem lhes apetece (aos mandantes do PS no ME) , aí deve entrar o sindicato sem dúvida. Que deveriam ter sido convidados concordo. Mas que iriam lá dizer , já agora? Ajudar à festa da flexibilização, do fim dos exames, do vale tudo e passa tudo , o que é preciso é a escola inclusiva e alegria na sala de aula?

Quanto à política educativa deste governo eu acho que podem uma vez mais conseguir pôr as escolas de pantanas e instaurar o caos, e passa tudo e sucesso à força em tudo quanto é escola… Desvalorizar o diploma do ensino secundário é apenas terminar um processo já há muito começado. Desde que as Universidades estejam atentas e estabeleçam um examezinho à entrada , até é melhor para os profs do secundário que têm de fazer esse trabalho atualmente: organizar, vigiar e corrigir os exames nacionais e tudo o mais que envolve muita logística e responsabilidade. Que o faça o ensino superior pois terá de o fazer sob pena de o mercado acabar por determinar, goste-se ou não, o que lhes acontecerá… às universidades e politécnicos que também achem que entra tudo minha gente , pois o que é preciso é ter alunos para manter os tachos……..!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

PS: Fui rever a lei de bases do ensino de 1986. É a que está em vigor não é? Nada consta a respeito da participação direta de sindicatos na definição de currículos, etc. Há o Conselho Nacional de Educação. Nem de professores se fala, apenas da participação democrática em geral e na gestão em particular. Portanto…





Prós e Prós …? Nem tanto…

18 09 2018

Tudo tão em harmonia… enternecedor.

Como sou de ideias fixas e fiquei a remoer as paridades de poder de compra do estudo tão divulgado da OCDE, não resisto a dizer isto: vive-se então melhor em Alcanena do que em Lisboa (pois Lisboa é mais cara), seguindo o exemplo que a Fátima insistiu que fosse considerado, embora quem estava a falar tivesse dito Lisboa e Londres como exemplo, mas na mesma direção de raciocínio (Londres é mais cara…). Portanto , espera-se nos próximos tempos uma forte fluxo migratório de Lisboa para Alcanena. Ou de Londres para Lisboa e não o inverso, já que se vive melhor em Lisboa… Isto diz tudo sobre a bondade das PPC (Paridades de Poder de Compra) ou PPP (Purchasing Power Parities).

Dado o adiantado da hora  não vou comentar muito mais. Só que acho que aquela onda de harmonia em torno da invenção da roda mais ou menos dopada de bytes e bites e do princípio da contingência ou da incerteza (tudo novidades novinhas em folha tanto na teoria da gestão como na Física……….) tinha mesmo de ser surfada da forma como inteligentemente Guinote o fez… Nada a fazer, estavam todos ganzados na flexibilidade, criatividade e mais as tais “ades” transversais” intermináveis próprias do século XXI…. o tal que já era antes de o ser. Bem, vou mas é dormir.





Uma raga para descontrair e meditar

17 09 2018

Pode ajudar, vou memorizar parte… para meditar na sessão de dentista de amanhã : receio que não seja das mais simples ( a sessão, a raga é sempre complicada e simples ao mesmo tempo) .

Pena que em Portugal quase seja desconhecida a música indiana em geral e o sitar em particular.  E no entanto , para mim é quase hipnotizante.

Prosaica  a menção da ida ao dentista? É mesmo . mas gosto de ir partilhando coisas prosaicas, sobretudo se acompanhadas do contraveneno poético.. E sim, é isso mesmo que está pensando: parafuso a menos 🙂 . Ou a mais . A sessão por acaso é de desaparafusar.





SIC, “Opinião Pública” , hoje de manhã.

12 09 2018

Convidados? Simples: Castilho e António Teodoro. Faz todo o sentido…….. Ambos candidatos não muito assumidos a ministros da educação…. um dia…talvez lá cheguem. Ambos profs do Ensino Superior……… que aliás está muito caladinho( o ensino superior, mas aí a carreira é outra e nem é bom pensar no que por lá se passa). Falaram bem, fiquei a saber que António Teodoro está catedrático numa privada de segundo nível, “tásse bem”…. o doutoramento sei que o fez à conta do trabalhinho sindical e de não dar aulas durante muitos anos… Mas falou bem, defendeu os professores , pena que os tenha atraiçoado quando era secretário geral da Fenprof…. e tenha tido que sair pois os profs já não o podiam ver nem pintado. Castilho esteve também bem , defendendo os profs como sempre e desmascarando alguns números e a estratégia do governo orquestrada com a campanha de difamação dos docentes nos media. Quando chegar a ministro , como será? Tudo bem, enquanto não chega vai dando uma mãozinha aos profs. Obrigada, quer dizer, obrigada em diferido , pois eu estou na reforma …congelada para todo o sempre e em boa verdade já nada disto me devia enervar…. MAS ENERVA. Teodoro denunciou a forma como um relatório de 400 páginas, com síntese diferente para cada país ( onde no caso português se destaca o problema das desigualdades de rendimento , sendo o caso dos profs apenas o último capítulo) se transforma na altura oportuna apenas em relatório sobre “os professores”. Aí esteve muito bem.

Eu acho que deveria lá estar alguém do governo atual, alguém da FNE , alguém da Fenprof , não é??? Bem, entretanto os telefonemas mostram bem o que se pretende… apenas 2 profs e uns imbecis reformados que nem a “Bola” devem seguir , por ser demasiado intelectual para eles, que telefonaram para criticar ou malhar nos profs e nos sindicatos.

 

O país está sem oposição. Costa tem consigo : O PCP, o BLOCO, o PSD de RIO, o Presidente que não quer chatices de antecipadas, o canal público de televisão , os amigos do grupo Impresa….. os sindicatos que fazem uns barulhos mas não incomodarão nadinha e BRUXELAS. Tásse bem. Como oposição tem a nossa Sarah Palin (com as devidas diferenças, claro , mais europeia, mais novinha e mais experiente na política, Cristas é menos má que Sarah, mas com franqueza, esta é a nossa oposição?). Um país sem oposição é um país democrático? Claro, estamos no 10º lugar dos mais democráticos (hehehe). Eu acho que um país sem oposição é uma ditadura mascarada de democracia. Podemos estrebuchar , mas “má nada”! Ponto final e vamos lá a aprovar o OE 2019…





Com que então 1/4 das despesas do Estado em 2019 vai para os profs, esses malandros?

11 09 2018

Hoje nas notícias de manhã na RTP3 , portanto em todos os canais públicos. A campanha de propaganda à la Goebbels contra os judeus, perdão, os professores, que começou com Sócrates e Maria de Lurdes Rodrigues, continua em força.

Imagino que, para a solução final,  o PS defenda a a co-incineração….





Compadrio em Pedrógão parte 2

11 09 2018

Há quem procure denegrir a figura de Ana Leal. A mim parece-me um reportagem MUITO BEM FEITA!!!!! Deve incomodar muita gente e por isso a atacam e criticam. É jornalismo de investigação quer gostem quer não gostem. Será que a Ana Leal não é de esquerda? Só pode, pois, se fosse, mesmo que tivesse feito uma reportagem sem fundamentos, seria considerada de alto nível. Nas próprias palavras que a jornalista usou em entrevista posterior parece-me, de facto, uma reportagem blindada nos FACTOS devidamente DOCUMENTADOS!!!!