DN: António Barreto ” crise política é golpe de Sócrates”

31 03 2011

 

O sociólogo afirmou que a demissão do Governo foi um “golpe” do primeiro-ministro para provocar eleições, vitimizar-se e que aumenta as dificuldades para Portugal se financiar nos mercados.

“Estamos a pedir em más condições, depois de um golpe de Sócrates que provocou eleições para tentar continuar no deslize e no agravamento em que estávamos”, afirmou Barreto, que preside à Fundação Francisco Manuel dos Santos, em declarações à agência Lusa, à margem do lançamento do livro de Vítor Bento, “Economia, Moral e Política”.

António Barreto acrescentou ainda que o momento actual do país “corresponde à ideia do primeiro-ministro, de provocar uma crise na qual ele possa, eventualmente, passar por vítima”.

O presidente da Fundação Francisco Manuel dos Santos acusou ainda José Sócrates de “caluniar” as entidades internacionais “a quem pede ajuda” e de “caluniar os credores” depois de pedir empréstimos. “Esta duplicidade é um péssimo sinal para o exterior”, acrescentou, referindo que se Portugal tivesse pedido ajuda externa há mais de um ano, teria estado em melhores condições para o fazer, e em melhores condições para cumprir eventuais programas de reformas económicas.»





Público: Autoeuropa a contratar temporários

31 03 2011

«Empresa pode atingir produção de 130 mil veículos em 2011
Autoeuropa contrata 300 trabalhadores temporários para aumentar produção 30.03.2011 – 07:57 Por Lusa
A Autoeuropa recebeu novas encomendas que lhe permitem atingir este ano uma produção de 130 mil viaturas e vai fazer contratos de seis meses a 300 trabalhadores temporários, disse fonte da empresa.[…]

Comentário:
Os mauzões dos alemães ! Quando tudo está a despedir, temos destes fura crises, a contratar. Contratos a seis meses, claro, mas não me parece que sejam recibos verdes.
Por falar em recibos verdes, que vai acontecer à lei que obriga os trabalhadores independentes ( a recibos verdes, portanto) a pagar à segurança social 29,3 % de 70% dos rendimentos declarados, independentemente do valor declarado ser baixo ou elevado.) Passos vai revogá-la? Estas perguntinhas concretas têm que ser feitas já, penso eu de que…





Triplo concerto

30 03 2011


Continua a ser o meu concerto preferido. Esta era a versão que havia lá em casa em vinil.
David Oistrakh, violin.
Mstislav Rostropovich, cello.
Sviatoslav Richter, piano.
Berliner Philarmoniker – Herbert von Karajan.
Recorded in 1969





Campanha eleitoral de vento em popa, os bons e os maus

30 03 2011

Sócrates já terá recebido uma lição intensiva dos homens da imagem. Já deixou de se ver o fumo a sair pelos olhos, nariz, boca e orelhas, agora está de novo calminho mas com o mesmo discurso exactamente: a culpa é da oposição. A culpa de todas as desgraças do país, as presentes, as futuras e as passadas. Ele presidiu ao governo durante seis anos…culpa? Crise internacional. À falta de melhor, um dia vamos ouvi-lo a culpar a Europa e a respectiva chanceler, Merkel. Sim, respectiva , leram bem. A bem dizer, os outros são o quê ? Palhaços mais ou menos perversos, Sarcozy e Berlusconi representam a nova Europa. A grande ilha não conta, não faz parte da Europa, nem na moeda nem em muito mais coisas, mas já tem tido a sua dose que chegue de palhaçada, a começar pela casa real. Esta é a Nova Europa que inclui os que entraram em força vindos do leste, os “feios, porcos e maus”,  habituados à corrupção, ao clientelismo, à subsidio-dependência e às mafias várias. Por causa desses, Portugal deixou de receber os milhões a que nos habituaram nos anos 90. Mas temos uma nova Europa: a do tratado TLPP  “Tratado de Lisboa, Porreiro, Pá”. Que é dele? É que entretanto veio a crise e ninguém insiste no tratado de Lisboa. Mas por cá, a Europa passou a ser a má da fita, o FMI foi promovido a drácula, apesar de o director geral dessa medonha e tremenda instituição ser um socialista francês (ver em profblog, ou no site do FMI). Em suma,  todos maus, bom só mesmo  o primeiro ministro português, pobre desgraçado, infeliz, dedicado à causa, honestíssimo,  atraiçoado pelas costas pelos maus e ingratos da oposição. Que essa oposição (no concreto, o PSD) esteja a traduzir o mal estar e a vontade de o apear da grande maioria dos Portugueses dá-lhe um jeitão porque assim pode eleger Passos como  alvo e simultaneamente fazer o que ele sabe melhor : insultar portugueses, enganá-los, ir-lhes aos bolsos, perturbá-los no seu trabalho com operetas, tipo avaliação de profs, o que ele gostaria agora ( talvez, claro está, não sou, infelizmente, o “listener” da série da tv, que ouve os pensamentos alheios) o que ele desejaria, dizia eu, era poder ser Gadafi: forças militares na rua para salvarem Portugal através da sua recondução imediata   enquanto governo de salvação nacional , eleições para quê (pensará ele talvez) são uma coisa cara e todos deveriam ver que ele e só ele pode salvar o país. ..





Texto de José Manuel Fernandes sobre Sócrates

28 03 2011

Via facebook em Octávio Gonçalves, li o texto magnífico de José Manuel Fernandes sobre Sócrates “Quem não tem dinheiro não tem vícios. E não pode ter Sócrates” . Uma análise esclarecida e distanciada o necessário para ser inspiradora de futuras soluções, espero eu. Espero que as pessoas que ainda têm a espinha direita (poucas… talvez 6,7%?)  no PS comecem a pensar seriamente no mal que pode fazer ao país esta máquina infernal em que se tornou o seu partido, e provoquem o tal sobressalto necessário, de que fala J.M. Fernandes, para tirarem Sócrates da liderança… um dia destes…





“Do Portugal Profundo” sobre a situação do país

28 03 2011

“Uma oportunidade de vida nova” , texto que a oposição viável, ou seja, o PSD (lamento imenso, mas é assim mesmo) deveria ler com toda a atenção.





Um texto a ler

28 03 2011

“Um dia eu tive um sonho” de Maria Rosário Cunha

Há um comentador que chama ironicamente “coitados” e “infelizes” aos professores. Comentador anónimo está bem de ver. Qual a profissão que tem não diz. Se percebeu alguma coisa do que leu está bem de ver que não.

E eu digo: “Coitado”! Nasceu…e não haverá professor nenhum que consiga tornar argamassa em estuque de Alhambra. Um bom professor, mesmo “excelente” poderá, na melhor das hipóteses, melhorar a textura da massa, torná-la um pouco mais fina, e isso se o deixarem trabalhar. Não tenhamos ilusões, sonhos sempre, ilusões não.

Chamem-me fascista e elitista.

Gostei do texto, revejo-me nele, até por não ser um texto de vitimização dos professores. Mas pode parecê-lo para analfabetos funcionais e acho que é honesto demais para exposição  num blog de 17 milhões de hits. A grande audiência tem esta desvantagem, aparece lá de tudo na caixa de comentários.