O “Público” agora não defende o contraditório?

25 11 2018

Um tal Luciano Alvarez escreveu no Público ,este sábado, o artigo ” A vida privada ” do touro bravo antes dos “20 minutos de fama”. Ora parece um artigo encomendado pela Protoiro. Escreve tudinho o que o(s) ganadeiro(s) disseram, nomeadamente  sobre os 4 anos de felicidade pura do touro bravo a troco da tal “fama” e ainda com o argumento pseudo -científico sobre as endomorfinas especiais do touro  (citando um ganadeiro). Não coloco link, não queria mais nada o senhor Alvarez. Um jornalista que reporta determinada situação que está profundamente ligada a uma questão polémica e fraturante tem por obrigação garantir o contraditório e ouvir a outra parte. Nada está lá , só a heróica atividade dos ganadeiros (vários ) é reportada bem como alguns insultos (proferidos por um deles) aos que são contra a tourada!

Um animal criado para a lide vai extinguir-se se acabar a lide? Porquê, se trabalham por amor à arte de mão no coração? Pobres ganadeiros que não ganham quase nadinha com a criação de touros bravos! Coitados deles! E se se extinguir a raça, a dos ganadeiros e a dos touros bravos? Não se extinguiram tantas espécies pela atividade humana? Não vejo problema. O búfalo europeu quase desapareceu e alguém se preocupou? Bem, se se cria uma raça de animais única e exclusivamente para o torturar na praça pública, EXTINGA-SE!!!!!!!!!!!!

Anúncios




Esquerda ou pseudoesquerda blasée… agonia-me

23 11 2018

Há deles assim, que acham sempre que aquilo que os outros defendem, desde que não seja o refrão da canção do Zé Mário Branco (paz , pão, saúde , habitação—– para o “povo”) é sempre algo de somenos importância. Como exemplo, esses tais que desprezam os ideais alheios colocam  os direitos dos animais  em prioridade z, sendo o resto do alfabeto para coisas do “povo” pelo qual são sempre eles (os tais) a decidir o que é bom e prioritário, pois no fundo , têm um supremo desprezo por esse “povo” genérico que no fundo acham estúpido e ignorante. Claro que defendem os animais para não parecer mal, mas no fundo, estão-se nas tintas para eles. São contra as touradas à quinta mas ao sábado, não se importam muito, são contra a caça no café se estão rodeados de gente defensora dos animais e são por ela quando aparece o amigo caçador. Ou seja, nem dizem que são por ela, dão a entender que tanto se lhes dá embora não pratiquem. Já não é mau , para os animais, que não pratiquem…. mas a atitude enjoa-me e acabo por respeitar mais os que se declaram claramente a favor, pelo menos assumem!!!!!!!!!!!!!

Vou votar PAN, está decidido!

PS Deveria ser blasée e escrevi blasé? Pois, la gauche é feminino, deve ter sido lapso e não foi por acaso :-). Vou corrigir.





Ao nível da Índia sem sermos um colosso emergente

20 11 2018

As imagens da estrada entre duas crateras de 80m e a notícia recorrente de mortes por monóxido de carbono deveriam colocar-nos na cauda do índice de desenvolvimento e não nos primeiros 30. Quem vende geradores não faz avisos?????? Aquela estrada estava aberta à circulação , porquê ??????? As pedreiras estão com rédea solta, pois há mais estradas assim nomeadamente alternativas a esta que ruiu, segundo dizem , está pelo menos uma também ladeada por duas crateras. Que fazem os autarcas? Passeiam-se nos eventos? Que faz a proteção civil nacional e camarária? Era uma estrada municipal. Quem manda nas estradas municipais? Não é o Ministério da Economia, tenha santa paciência. O autarca está tranquilo, diz, mas também vai assumir responsabilidades…. bem ele que escolha, ou não pois pode tranquilamente assumir responsabilidades o que deveria fazer desde já. Que faz a proteção civil para avisar o povo ignorante dos perigos do monóxido de carbono, venha ele de geradores ou lareiras??????? Que faz a escola que não ensina a diferença para os humanos entre o CO  e o CO2? Os alunos chegavam-me ao 10º a achar que ambos eram venenosos ou nenhum… a diferença , não sabiam. Por que se morre se descermos sem garrafa de oxigénio ao fundo de um poço mesmo que não tenha água? Não sabiam! Mas provavelmente saberiam a tabela periódica e fazer aqueles exercícios complicados com moléculas e reações.

Só não estamos ao nível da Índia porque temos muito pouca população residente o que dá um PIB per capita razoável…..





Porquê Picasso e não Goya?

19 11 2018

Vejam a obra de Goya e me dirão se ele defenderia a tourada . Picasso já terá prestado contas perante o criador, por isso não comento as suas preferências. Genial será, mas nunca me convenceu muito, continuo a gostar muito mais da época azul do que da obra que o imortalizou, o cubismo . Um quadro de Picasso cubista gostaria de ter sim, para vender em leilão  e depois   fazer coisas bem interessantes que não vou fazer nunca :-)…

Quanto a coragem nem me pronuncio. Claro que o touro mete respeito. Mas não é nem nunca será um predador. É uma potencial presa e por isso tem cornos, defende-se com bravura e não seria eu capaz de o encarar. Os cornos também os tem para se medir com os outros machos na época do pico da testosterona. Não para se medir com uma besta do alto de um cavalo, a picá-lo, a sangrá-lo, a enfraquecê-lo até querer desistir, mesmo o mais bravo dos bravos.

Lembro-me de, em miúda, gostar de ver na TV José Mestre Baptista em cima do cavalo e raramente o vi a fazer o touro urrar de dor. Posso compreender esses tempos. Mas tudo isso acabou. Lembro-me até como algum conceito velho de ” honra” desapareceu completamente quando vi há poucos anos, um cavaleiro conhecido das praças, a investir a cavalo contra manifestantes pacíficos , homens e mulheres e até crianças que estavam apenas sentados perto de uma praça de touros. A honra associada à tourada , se é que existiu, morreu. Acho até que Mestre Baptista mudaria com os tempos. A tourada pertence a um museu. Acho que deveria haver um museu , sim pois há todo um misto de emoções que fez parte da cultura patriarcal que nos caracterizou … Não se deve apagar a memória nunca. Seja boa , seja má, seja boa e má ao mesmo tempo, o que é possível depende dos conceitos de bem ou mal como diria o La Palisse.

Acabou. Façam algo de criativo com touro ou sem touro, com cornos ou sem eles.





O imposto sobre o tabaco discrimina alguém?

19 11 2018

Acho que não, pois , se a pessoa não fumar, não paga mais do que os outros cidadãos. O que permite aos governos manter esse imposto ? Uma decisão política de saúde pública. No entanto, as empresas tabaqueiras não se vão pôr aos gritos a dizer que são discriminadas! Assumam-se! Se acham que as touradas fazem mal à saúde (eu diria mental) dos cidadãos decidam um imposto especial, sem inventar desculpas. Deixem o IVA a 6%, mas afinfem-lhe com um imposto de 30% . Faz mal ao boi sobretudo, mas considerando que os direitos dos animais não estão consignados na constituição nem um touro advogado (isto se fosse  aceite pela ordem dos advogados) poderia defender o direito a não ser agredido (e sobretudo não ser agredido para divertimento de uns quantos) e a não ser discriminado, pois não poderia invocar nenhum artigo da constituição onde a espécie estivesse contemplada: há uma lista de motivos que não podem dar origem a discriminação, a existência de uma lista exclui o que nela não consta, e não consta a espécie. Por isso, há uma lei recente que estabelece que um cão, um gato não pode por lei ser torturado, que constitui os maus tratos como crime, mas pela mesma lei um touro pode ser torturado . Entretanto parece haver uma lei a proibir o uso de animais nos circos…. se for uma tenda não, se for uma arena, parece que sim.

Quando voltam as tradições ancestrais dos leões a papar humanos? Haverá gente a sentir-se discriminada.

P.S. Relembro que sou fumadora e tenho faltado às sessões dos Fumadores Anónimos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 





Cerimónias do centenário do armistício em Londres

15 11 2018

Por isso T.May não esteve em Paris.  Poderiam ter coordenado as datas, mas cada um sabe o que faz. O importante foi não deixar passar a data. Relembrar o passado e sobretudo pensar nos erros , nomeadamente , o erro colossal do tratado de Versalhes, denunciado na altura por Keynes, mas que ninguém ouviu.

Entretanto ” the thing” twitta insultos… Pormenor típico: The Thing” foi a Paris de gravata vermelha, mas isso será irrelevante considerando tudo o resto. Aplaudiu o discurso de Macron e no dia a seguir twitta insultos.





Discurso de E. Macron -Centenário do armistício 1918

11 11 2018