Acabei de auto-censurar um post

20 07 2016

O assunto era o que por aí de designa por “não opinião”. Longo post.
Não publico.
Deixo adivinhar…
Hehehehe (este é o meu riso sarcástico, para quem ainda não me conhece)

Anúncios




Onde é que eu já vi isto?

19 07 2016

“Tenho mais tempo de serviço, escolho as turmas em 1º lugar!”
12 Jul, 2016 Alexandre Henriques

artigo publicado no site “Com Regras”, que se está a tornar uma referência para profissionais, pais e encarregados de educação e para quem se interessa pela educação. Não refiro os alunos pois não os estou a ver a consultar este tipo de sites nos intervalos das selfies, das sms e dos jogos da moda no “i ou smart fone” ou na tablete…

Ora, ora onde é que eu já vi isto que é referido no artigo  ? O melhor é nem me lembrar. Infelizmente, um pouco por todas as escolas por onde andei. Nem sempre o galo é o mais graduado, pode ser um galo ou perua mais próximo(a) da direção, por isso a solução apontada não vai resolver nada, a não ser que a direção seja mesmo diferente do normal 🙂
Desculpem o acordo ortográfico,mas não se muda a realidade fingindo que ela não está lá. Este artigo tem essa enorme virtude de chamar os bois pelos nomes e de quebrar tabus, pois nada disto se admite explicitamente… as justificações são sempre “o interesse pedagógico dos alunos”.
Pois, disto já não tenho. Prefiro andar stressada a tentar ajudar a limpar o mato para evitar que a minha pequena floresta de espécies nativas arda. Mesmo que seja trabalho duro, devo dizer, bem duro sobretudo com calor, é melhor do que toda esta hipocrisia nos microcosmos cada vez mais irrespiráveis em que se tornaram as escolas, com algumas exceções que confirmam a regra.
Um reparo: achei engraçado ver no site que os artigos mais consultados são aqueles que versam sobre indisciplina, mas , na sondagem semanal, as pessoas preferem que se fale de “educação em geral” que engloba todas outras opções . O autor não previu esse fenómeno muito típico.





Chopin: nocturne 2

18 07 2016

O pianista não está identificado, mas uma comentadora reconheceu Barenboim





Da quase inutilidade de escrever na “rede” e o que é verdadeiramente essencial

15 07 2016

Escrever aqui está cada vez mais a ser apenas um escape de fúrias. Não conheço os meus leitores, são poucos aliás. Apenas um blogue se identifica quando aqui vem : “Lebução de Valpaços”, um blogue sereno e refrescante. Fica o agradecimento a esse meu leitor regular.

Porque há experiências reais na vida que nada têm a ver com o mundo falso , hipócrita e artificial das redes sociais , que nos fazem redimensionar tudo. Assim, desde sábado passado que tem sido mais claro distinguir entre o essencial e o acessório, entre o que realmente pesa na minha vida e o que não tem importância de qualquer espécie.
Por isso tudo , acho que não irei perder muito tempo nem no face nem no blogue. No face, já decidi há muito não discutir política, não comentar o que quer que seja de política , sejam as notícias sobre Portugal ou outros países. Abro excepção para situações como ataques terroristas, mas apenas para manifestar solidariedade.
Há alguns dias decidi também não discutir futebol no face. Ficam assim, a ciência, a arte, a defesa dos animais, as maravilhas da Natureza, o humor saudável e pouco mais. Isto, no facebook.
Aqui não vou estabelecer que não discuto isto ou aquilo, como é óbvio, só lerá quem quiser, uma vez que têm de cá vir para ler. No face vai rolando toda a espécie de comentários que às vezes é impossível não ler, a não ser bloqueando.

Tenho muito a fazer na atmosfera, na companhia dos que amo e me amam, enquanto me ou lhes for dado por Deus por cá andarmos.





Nice : já não há palavras

15 07 2016

Não tenho mais comentários e as palavras são sempre não adequadas nestas ocasiões.
Copio apenas a minha foto do face, para que saibam que desde ontem à noite sou francesa.
imagem de perfil do face

Só um esclarecimento:
Por que não fiz o mesmo quando da Turquia? Porque não me revejo na língua dupla, no jogo duplo dos responsáveis daquele país. Lamento as mortes mas a bandeira turca lamento, mas não me revejo nela. Quanto ao Iraque, lamento também mas, desde há muitos anos que morrem aí, a um ritmo de pelo menos 30 por dia , às mãos da outra seita islâmica, ou seja, quando não são os xiitas são os sunitas, por isso já fiquei quase anestesiada, e sempre e cada vez mais perdendo o respeito pelo Islão, lamento dizê-lo, pois, da forma como está hoje o Islão, parece-me fomentar o ódio mais do que o amor, digam o que disserem os ditos moderados. Digam o que disserem os especialistas em tudo e todos… especialistas dos quais a maioria, aposto, nunca leu uma linha do Corão.





Fantasias sobre… o financiamento da ADSE

14 07 2016

Barómetro: Maioria dos portugueses desconhece que ADSE é paga pelos beneficiários

João Maltez | jmaltez@negocios.pt | 14 Junho 2016

Não tínhamos ainda visto esta notícia (embora já soubéssemos por experiência que assim é, mas com amostragem e inquérito alargado ficamos mais seguros).

Nota: o plural não é majestático ( mas, se quiserem, também pode ser), é só uma formulação que eu agora decidi adoptar sempre que possível.





Análise de conteúdo…

12 07 2016

Para psicólogos, sociólogos , “politólogos”:

A análise de conteúdo dos comentários à notícia do Sol sobre a petição que circula em França a pedir a repetição da Final do Euro dava uma tese de mestrado ou uma “tesinha” de doutoramento. Isso, leram bem, uma “tesinha”.