Por que não fui às manifestações

23 09 2012

Já escrevi no facebook. Agora vou fazer copy paste do que lá comentei no meu portal e dizer mais umas coisinhas.
Os funcionário públicos foram atacados anos a fio, insultados nos jornais e pelo governo de Sócrates. Cortaram-lhes no vencimento até 15% . O subsídio de Natal de 2011 levou machadada, Subsídio de férias e Natal anunciados suspensos sine dia, o que corresponde a 16,7% de redução do vencimento deste ano sobre um valor já reduzido no ano anterior. Carreiras congelada há muitos anos. Ninguém se movimentou, só mesmo os próprios sobretudo os profs , acresce a isto a deterioração das condições de trabalho , aumento do horário e precarização do contrato mesmo do vínculo que era definitivo e deixou de o ser. Agora fala-se de um corte de 7% para todos e vem tudo à rua????????
Não vou a manifs onde se não apresente um caderno de reivindicações CONCRETAS.
Por exemplo: Queremos Relvas fora! Queremos a frota automóvel do Estado reduzida, redução do número de motoristas pagos por valor muito superior à tabela. Queremos VARA na prisão, queremos Dias LOUREIRO na prisão . Queremos Sócrates a responder em tribunal. Queremos Sócrates no país a responder por gestão danosa dos dinheiros públicos, tráfego de influências. Queremos Portas na rua, a não ser que entregue o dossier e prove a sua inocência em relação aos submarinos!!! De qualquer das formas, constituído arguído. Há outras pessoas no CDS para o substituir. Ou não? Queremos justiça no país! Queremos as fundações do Estado TODAS EXTINTAS. Fundações só as que têm património próprio!!!!!!
Estou farta de associações de estudantes a dirigir as manifestações convocadas pela net. Há que trabalhar mais fazer petições com reivindicações MUITO CONCRETAS. “que se lixe a troika ” , “não pagamos” é infantil, é próprio de associações de estudantes a lutar conta as propinas , dá uma imagem de um país que não amadureceu.
Outra reivindicação possível e madura:” queremos sair do euro!” Madura se soubermos o que isso significa. Madura se soubermos que isso não nos impede de sermos obrigados a pagar o que devemos em euros. Madura se soubermos que sair do euro não é sair da união europeia. Se quisermos isso então é dizê-lo claramente, pois só nesse caso, se sairmos da UE poderemos voltar ao proteccionismo!!! Fechar fronteiras, proteger as nossas poucas fabriquetas, fim dos QRENs, fim das obras comparticipadas pela UE, etc … protecção das nossas mercadorias agrícolas e industriais (quais são elas é mais difícil de dizer pois há que saber quais as indústrias que dependem do mercado interno de 6 milhões de famílias com algum poder de compra , estimativa minha) e melhoria das exportações (apesar da eventual retaliação proteccionista dos países para os quais exportamos) por desvalorização garantida do escudo, directa ou indirecta😮 banco de Portugal põe as rotativas da casa da moeda a funcionar, imprimem-se contos de reis, muitos, a inflação dispara ( nos finais de 70 e anos 80 a inflação era de 30%, o que representa perdas de salário real ao mesmo nível), preços das mercadorias importadas disparam (será que temos medicamentos fabricados aqui, material médico etc, não me parece teremos que importar, para dar um exemplo), muita agitação social em consequência e obviamente é necessário encontrar financiador da nossa dívida na mesma, se quisermos honrar compromissos e ter credibilidade internacional. E encontrar financiador do défice do Estado que continuará a ser problema, para termos saúde e educação universal.
Alternativas: Acabar de vez com os tachos , panelas e frigideiras de gente medíocre escolhida de acordo com o cartão do partido, financiados por dinheiros públicos, rescisão de contrato com administradores por não atingirem objectivos acordados previamente. Encontrar investimento directo estrangeiro atribuindo redução especial de IRC e TSU com condição de ficarem no país durante certo tempo. Restituição de todos os benefícios caso o façam antes do prazo acordado. Tudo o que entrar por via do investimento estrangeiro é ganho líquido: mais capital a entrar no país, mais encomendas feitas a empresas portuguesas, mais emprego directo e indirecto, maior credibilidade internacional o que atrairá mais investimento. Se forem empresas exportadoras , haverá mais exportações. Mais emprego criará mais procura interna, o resto é sabido , o multiplicador keynesiano é conhecido por todos ou devia ser.

Nenhum consenso será possível sem aquilo que disse no princípio: justiça, castigo dos criminosos, equidade de sacrifícios que todos temos que fazer, cada um na medida das sauas possibilidades. Sem rolarem cabeças, isto é , remodelação ministerial  e cadeia para todos os que provocaram esta situação, nunca haverá consenso ou paz social, isso é demasiado evidente! E sem paz social não haverá investimento nem doméstico nem estrageiro!!!!!!!!!

 


Ações

Information

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: