Público:”Despesa pública irregular detectada subiu 60 por cento em 2008 “

9 06 2009

08.06.2009

 

Esta frase acompanha o vídeo de entrevista a Oliveira Martins, mas é exemplo de como é insuficiente a informação: há um ponto de tangência entre o que diz o Presidente do Tribunal de Contas e a frase que serve de título: 60%. O que deixa o leitor baralhado. Seria óptimo que a notícia fosse desenvolvida em artigo de fundo. Talvez na edição impressa.

É que adoraria saber as consequências disciplinares ou outras dos actos “irregulares” do gestor público ou autarca,  do director geral ou regional, do secretário de Estado ou ministro que comete as tais irregularidades. Também e sobretudo, gostaria de saber o que acontece aos contratos irregulares. Ficam nulos, ou com um papelinho aqui outro ali passam a legais e tudo fica como dantes, no melhor dos mundos possíveis?

Comprar a edição impressa até que seria justo mas não há tempo para ler todo aquele papel e depois fica um pilha de jornais que ao fim de certo tempo deito fora sem ter lido nem metade… não tenho a capacidade de leitura ao mesmo tempo extensiva e intensiva que alguns têm e ainda bem para eles e para mim. Tanta informação ao mesmo tempo no cérebro deve fazer mal , é indigesto , acho eu, só pode. Mas espero que não, isto sou eu com inveja…

Anúncios




Valse op.64, No. 1. : o cão freneticamente perseguindo a própria cauda

9 06 2009

kubusdk  em informação que acompanha o vídeo:

“Valse Op. 64, No. 1. […] in D flat has obtained the name of the Valse du Petit Chien, owing to Chopin having composed it, as illustrative of the frantic efforts of Madame Sand’s little dog to succeed in catching its own tail.[…]

Acontece aos melhores, e neste  minuto  Chopin é mesmo descritivo…

Metáfora para alguém, um partido, uma classe profissional, uma plataforma, um clube qualquer, um governo?

A interpertação é livre.