“A educação do meu Umbigo”- O livro que incomoda ministros… (e uma aposta da Porto Editora)

26 04 2009

O livro é anunciado nas notícias no site da editora.

educacao-do-meu-umbigo

Adquiri on line e  estou a ler .  O livro clássico, em suporte papel, não é, de facto, a mesma coisa que um blogue ou um e-book. É melhor, acho eu. Não é apenas  uma revisão de um blogue de que sou leitora assídua desde 2008. É outra coisa: entre o ensaio e a crónica,  não tem ruído de fundo e deixa uma visão clara, objectiva mas também pessoal, da educação, da política educativa  e dos desgovernos que temos tido na mesma. Deixa também linhas de uma proposta para a mudança.

Falta no livro, para ajudar o leitor, um índice mais completo bem como uma pequena bibliografia. Confesso que muitos dos autores referenciados nos artigos mais ensaísticos são para mim desconhecidos. Lacunas minhas e a listinha final poderia ajudar.

Outras  obras do autor registadas na Biblioteca Nacional.

Anúncios




Canonizações?

26 04 2009

Mais importante que a canonização de Nuno Álvares Pereira, que o povo já há séculos tinha decidido santificar sem esperar pela ratificação do Vaticano, foi talvez o programa na RTP 2 sobre António Lobo Antunes.

Através do program tive conhecimento de um evento, datado de Novembro passado e que desconhecia.
«António Lobo Antunes no auge da sua carreira recebe o grande prémio de literatura da Feira Internacional do Livro em Guadalajara, México. A entrega do prémio é o ponto de partida para uma passagem em revista da sua vida e obra. A infância, a psiquiatria, a guerra colonial, o 25 de Abril, os livros, a doença. Em 2006 foi-lhe diagnosticado um cancro. Foi grave, foi operado. O perigo de morte está ultrapassado. Mas a doença deixou marcas, a sua atitude perante a vida modificou-se, só vai publicar mais dois livros.» (site RTP2)

Assistindo ao programa da RTP2, descobri um novo Lobo Antunes. Só li “A memória de elefante” há muitos, muitos anos e não gostei. Depois ,as entrevistas que o autor ia dando na TV mostravam-me alguém muito narcisista e mesmo arrogante*, o que me afastou dos seus livros posteriores. Perda minha, pelo que ontem percebi.

Nota:

*Se não tivesse lido e apreciado os grandes livros de Saramago, antes de ver as entrevistas, sei que me teria acontecido o mesmo…





DIVERSITY Dance Group-Britain’s Got Talent 2009

26 04 2009




“Projecto Orquestra” da Gulbenkian (Público)

26 04 2009

A ideia para o projecto Orquestra Geração, da Gulbenkian, foi inspirada no “El Sistema” – um projecto social venezuelano composto actualmente por cerca de 250 orquestras de jovens de vários níveis etários oriundos de meios sociais desfavorecidos.

[…]
Ler mais

Coemntário meu: Parece-me uma boa ideia sobretudo para aumentar o” pool” de talentos, que em Portugal me parece ser relativamente pequeno, pois tenho a ideia de que os pais ” favorecidos” gostam mais de ter os meninos no futebol, nas artes marciais (e/ou no Inglês) e as meninas na música, no ballet (e/ou no Inglês), mesmo que, uns e outras não tenham nenhum talento para as ditas actividades, o que em si próprio não é mau para eles, se gostarem das actividades e ninguém lhes disser que são umas “maravilhas”… 

O que faz traumas é descobrirem depois que nunca foram acima da média e muito menos, “maravilhas”. Em princípio, acho que todos deveriam ter na escola pública a oportunidade de experimentar o prazer da produção ou interpretação de música e  aprender a saber tocar um qualquer instrumento musical.

O projecto é interessante também pelas razões expostas e habituais: a inclusão social, as janelas de oportunidades, embora estas, em Portugal, sejam pequeninas (tanto as janelas como as oportunidades). Tal como no futebol, os grandes talentos podem encontrar na esfera global a tal “oportunidade”.

Não tenho informação de quantas orquestras há em Portugal, mas tenho a leve impressão de que são poucas.





“La poesia es…”

25 04 2009

LA POESÍA ES UN ARMA CARGADA DE FUTURO

Letra: Gabriel Celaya
Música: Paco Ibáñez

Cuando ya nada se espera personalmente exaltante,
mas se palpita y se sigue más acá de la conciencia,
fieramente existiendo, ciegamente afirmando,
como un pulso que golpea las tinieblas.
Que golpea las tinieblas.

Cuando se miran de frente
los vertiginosos ojos claros de la muerte,
se dicen las verdades:
las bárbaras, terribles, amorosas crueldades.
Amorosas crueldades.

Poesía para el pobre, poesía necesaria
como el pan de cada día,
como el aire que exigimos trece veces por minuto,
para ser y en tanto somos dar un sí que glorifica.

Porque vivimos a golpes, porque apenas si nos dejan
decir que somos quien somos,
nuestros cantares no pueden ser sin pecado un adorno.
Estamos tocando el fondo.
Estamos tocando el fondo.

Maldigo la poesía concebida como un lujo
cultural por los neutrales
que, lavándose las manos, se desentienden y evaden.
Maldigo la poesía de quien no toma partido, partido hasta mancharse.

Hago mías las faltas. Siento en mi a cuantos sufren
y canto respirando.
Canto, y canto, y cantando más allá de mis penas,
de mis penas personales, me ensancho.
Me ensancho.

Quisiera daros vida, provocar nuevos actos,
y calculo por eso, con técnica, qué puedo.
Me siento un ingeniero del verso y un obrero
que trabaja con otros a España, a España en sus aceros.

No es una poesía gota a gota pensada.
No es un bello producto. No es un fruto perfecto.
Es lo más necesario: lo que no tiene nombre.
Son gritos en el cielo, y en la tierra, son actos.

Porque vivimos a golpes, porque apenas si nos dejan
decir que somos quien somos,
nuestros cantares no pueden ser sin pecado un adorno.
Estamos tocando el fondo.
Estamos tocando el fondo.

Hoje, aqui e agora: canção intemporal e universal (apesar da referência geográfica na letra original, que Ibáñez omite ), exaltando quem se compromete e se faz voz de quem a não tem…





Shriman Narayana

25 04 2009


Cantado por Hemant Chauhan





Que aconteceu nestas escolas depois do simplex2?

25 04 2009

Lista de escolas que suspenderam a avaliação (dados da FENPROF em 29/01/2009)

No site da Federação só consta numa caixinha lateral o seguinte:

«No centro da luta


São muitos milhares os Professores que não entregaram objectivos individuais.

 Essa é, no momento, a principal luta dos Professores! »

Aguardo a síntese da “consulta” aos “professores” ou aos “professores sócios da federação”… Ainda não está no site  nenhuma informação sobre  a aprovação (por esmagadora maioria de 90%)  das propostas do secretariado nacional…..