Fado tropical-Chico Buarque de Holanda

11 04 2009
Anúncios




Público:”Pela primeira vez na história, Brasil passa a credor do FMI”

11 04 2009

11.04.2009, Nuno Amaral, Rio de Janeiro

Lula da Silva realça momento histórico e frisa que verba superior a três mil milhões de euros será para dinamizar países emergentes
“Chique”, “histórico”, “soberano”. Não faltaram adjectivos ao Presidente brasileiro, Lula da Silva, para classificar o empréstimo que o país vai conceder ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Ao anunciar a decisão, logo após a cimeira do G 20, em Londres, Lula da Silva acentuou que vai entrar para a história como o “primeiro Presidente” do Brasil a disponibilizar verbas ao organismo. “Você não acha chique o Brasil emprestar dinheiro para o FMI?”, perguntou a um dos jornalistas presentes na conferência de imprensa. “Eu passei parte da minha juventude a carregar faixas contra o FMI no centro de São Paulo e, agora, serei o primeiro Presidente deste país a emprestar dinheiro à mesma estrutura a quem já devemos muito dinheiro”, enfatizou.
No final desta semana, o Governo brasileiro anunciou que vai disponibilizar 3,4 mil milhões de euros ao FMI, com o objectivo de ajudar países emergentes que enfrentam dificuldades de crédito devido à crise internacional. “Agora estamos a entrar no clube de credores do FMI”, frisou o ministro das Fazenda (Finanças), Guido Mantega.
[…]
Para o Presidente brasileiro, os líderes presentes da cimeira do G20 concordaram que o maior problema do mundo, é, actualmente, a falta de crédito, e, por isso, decidiram reforçar o FMI. “As decisões que tomamos foram bem aceites, especialmente a de fortalecer o FMI, porque colocarão crédito à disposição e facilitarão o fluxo comercial”, assinalou.
Lula afirmou ainda que, na reunião do G20, “foi a primeira vez” que os países como Brasil, Índia, China e Rússia – e que constituem o bloco chamado BRIC – não foram tratados como coadjuvantes, e sim como protagonistas.
“O Brasil hoje tem uma presença em igualdade de condições com os outros. Hoje, já não se trata dos Estados Unidos e dos outros, ou do Reino Unido e dos outros. Hoje, todos os que estamos na mesa sabemos que precisamos uns dos outros para resolver a crise”,
enfatizou o Presidente brasileiro.
Brasil viveu “humilhação”
Depois de décadas a receber visitas de representantes do FMI, o Brasil saldou as dívidas com a estrutura em finais de 2005, período em que consolidou um crescimento económico na ordem dos 4 por cento e aumentou as exportações, sobretudo de minérios, etanol e produtos agrícolas. Até essa altura, sublinhou Lula da Silva antes de seguir para a cimeira do G20 em Londres, o país viveu um “inferno”, uma “humilhação”.

 Ler mais

 

Pequeno comentário meu:

Minérios, etanol, produtos agrícolas…  Mas não será isto ainda a velha D.I.T.(divisão internacional do trabalho) senhor presidente Lula da Silva? Pois é, alguns daqueles bens são agora “produtos estratégicos”, mas por quanto tempo?

Se cuide!





Fauré – Requiem – In paradisum

11 04 2009


Com tradução em Inglês, Castelhano, Francês, Alemão e Italiano. Margotlorena no seu melhor.